Rafa Kalimann fala sobre traição de ex-marido: ‘eu já perdoei’

João Pedro Malar* - O Estado de S.Paulo

Influenciadora foi entrevistada pela apresentadora Ana Hickmann por vídeo chamada e falou sobre experiência no ‘Big Brother Brasil’

A influenciadora digital Rafa Kalimann, vice-campeã do 'BBB 20'

A influenciadora digital Rafa Kalimann, vice-campeã do 'BBB 20' Foto: Victor Pollak/Globo/Divulgação

A influenciadora digital Rafa Kalimann, que ficou em segundo lugar no Big Brother Brasil 20, falou sobre a sua relação com seu ex-marido, o cantor sertanejo Rodolffo Matthaus. Em entrevista com a apresentadora Ana Hickmann, Rafa contou que foi traída várias vezes pelo cantor.

“A gente dava muito certo, era muito feliz mesmo. Mas ele me traiu bastante”, disse a influenciadora, rindo logo depois. Ana Hickmann, que realizou a entrevista para seu canal no YouTube, demonstrou surpresa, e então Rafa explicou melhor a história, revelando que foi informada sobre as traições por uma mulher que recebeu mensagens de Rodolffo.

Rafa destacou, porém, que os dois acabaram desenvolvendo uma boa amizade após a separação: “foi um erro muito grande dele, mas depois a gente acabou criando uma amizade e um carinho muito grande em respeito a todos os momentos muito bons que a gente viveu. Ele errou bastante, ele reconhece isso. Eu já perdoei, tanto que eu falo disso com naturalidade”.

Ainda sobre o assunto, a ex-BBB revelou que o ex-marido a apoiou durante sua participação no BBB 20, e inclusive chegou a ver o programa junto com a mãe de Rafa. Segundo ela, o apoio é algo mútuo entre os dois, mas ela não acha que há chances de retorno do relacionamento. “Vamos ficar de boa, na amizade, tá muito bom do jeito que está”, concluiu ela.

Além de falar sobre o casamento, que foi de 2016 a 2018, Rafa também comentou sobre como foi participar do reality show: “a parte mais complicada foi conviver tanto com pessoas tão diferentes. [...] Você conviver 24 horas com as pessoas em um lugar que é um jogo, com uma competição muito forte, ter que votar, ter que julgar, é muito difícil, é desesperador”.

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais