Perícia aponta falta de provas no caso de Duda Reis contra Nego do Borel

Redação - O Estado de S.Paulo

Cantor processa ex-noiva por calúnia, injúria e difamação

Duda Reis e Nego do Borel terminaram o noivado em dezembro de 2020

Duda Reis e Nego do Borel terminaram o noivado em dezembro de 2020 Foto: Instagram/ @negodoborel

Em janeiro, Duda Reis acusou o ex-noivo Nego do Borel de relacionamento abusivo, revelando por vídeos na rede social ter sofrido agressão e ameaças. A influencer registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Defesa da Mulher e contou à polícia que o cantor guardava dinheiro ilícito e um fuzil em casa. Nesta quinta-feira, 12, a Polícia Civil de São Paulo divulgou o laudo da perícia concluindo que não há provas. As informações são do colunista Leo Dias, do Metrópolis.

A polícia apreendeu e analisou 3 aparelhos celulares iPhone (11 Pro, 8 plus e XR), um videogame PlayStation 4 e computadores, e não encontrou nada que comprovasse as acusações de Duda.

Também foram investigadas todas as contas bancárias e imposto de renda do cantor como pessoa física e jurídica. O dinheiro apreendido na casa de Nego, no valor de quase 425 mil reais, tem origem lícita, diz o laudo. 

O processo ainda está aberto, mas Nego já iniciou um processo contra Duda Reis por calúnia, injúria e difamação.

Entenda o caso

O relacionamento de Duda Reis e Nego do Borel durou três anos, sendo que eles moraram juntos por oito meses, e terminou em dezembro de 2020. Em janeiro, um áudio da influenciadora Lisa Barcelos confirmou uma traição do cantor e Duda veio à público falar de seu relacionamento.

Após a repercussão dos vídeos relatando os abusos do cantor, Duda contratou uma advogada e registrou o boletim de ocorrência, onde a influencer acusa o ex-noivo de estupro de vulnerável, ameaça, injúria, lesão corporal, violência doméstica e transmissão de HPV (infecção sexualmente transmissível). Pela medida protetiva da Lei Maria da Penha, Nego não podia contatar ou se aproximar dela.

Ainda em janeiro, o cantor negou as acusações e tentou uma liminar para calar a ex. A defesa do funkeiro alegou que ele estava sendo perseguido pela ex-namorada por causa da infidelidade e do fim do relacionamento e pediu indenização de R$ 45 mil por danos morais.