'Perdi minha virgindade aos 18 anos após desistir de antidepressivos', diz atriz 

- Bang Showbiz

Cara Delevingne, que interpreta a personagem Magia no filme 'Esquadrão Suicida', começou a tomar os medicamentos aos 16 anos

Cara Delevingne, que interpreta a personagem Magia no filme 'Esquadrão Suicida' tomou antidepressivos durante dois anos

Cara Delevingne, que interpreta a personagem Magia no filme 'Esquadrão Suicida' tomou antidepressivos durante dois anos Foto: Bang Showbiz

A atriz Cara Delevingne começou a tomar antidepressivos aos 16 anos, mas odiava os comprimidos. A estrela de 'Esquadrão Suicida' afirmou que na mesma semana que parou de tomar a medicação perdeu a virgindade, aos 18 anos, pois pôde "sentir as coisas novamente".

"Naquela semana, eu perdi minha virgindade, me envolvi em brigas, eu chorei, eu ri. Foi a melhor coisa do mundo sentir as coisas de novo", conta a jovem de 23 anos. 

Ela recebeu a prescrição médica de antidepressivos aos 16 anos,  quando estava se sentindo deprimida e tinha pensamentos suicidas. Em entrevista à edição de setembro da revista 'Esquire', Cara admitiu que sua adolescência foi extremamente difícil. "Quando eu era adolescente, tive que lidar com todos os hormônios, a pressão e o desejo de me sair bem na escola. Eu tive um colapso mental".

A atriz conta que foram anos conturbados e dúbios. "Eu era suicida. Não conseguia lidar com isso mais. Eu percebi o quão sortuda eu era e como eu era privilegiada, mas tudo o que eu queria fazer era morrer. Me sentia tão culpada e me odiava por causa disso, então é um ciclo. Eu queria morrer".

Atualmente, Cara está namorando a cantora e compositora St. Vincent e superou os medicamentos antidepressivos. "Eu ainda fico deprimida, mas prefiro aprender a descobrir isso sozinha do que ser dependente de remédios, mais uma vez. Eu odeio remédios. Eu não concordo com eles. É tão fácil abusar deles". A estrela também afirmou que seu novo amor está colocando os  relacionamentos anteriores em um outro patamar. "Quando você encontra um amor verdadeiro, você olha para trás para os outros amores que teve e você pensa: 'Oh, aquilo foi um pouco destrutivo'".