Paulo Coelho afirma que já foi internado em manicômio e desistiu de escrever

- O Estado de S.Paulo

Em entrevista ao 'Programa do Jô', escritor lembrou momentos difíceis, como a ditadura

  

   Foto: Eloy Alonso/Reuters

Em entrevista ao Programa do Jô desta quinta-feira, 10, Paulo Coelho revelou que passou por períodos bastante complicados. "Eu tive que enfrentar momentos muito difíceis na minha vida, fui internado num manicômio."

O escritor, um dos mais lidos no Brasil, também falou sobre a época do regime militar. "Terminei sendo preso pela ditadura militar três vezes. Eu fui torturado, eu desisti. É bom deixar isso claro." Coelho e Raul Seixas foram presos, como registrado no relatório final da Comissão Nacional da Verdade (CNV), por causa da expressão 'Sociedade Alternativa', usada no álbum Krig-Há, Bandolo!. O escritor é autor de letras do disco. 

"Teve um momento em que eu fiquei realmente assustado. Mas eu digo: eu não posso fugir do meu destino. Eu não posso. cada homem tem um destino para cumprir, cada pessoa tem alguma coisa para fazer, mesmo que vá contra o que todo mundo falou, que foi o meu caso. 'Ninguém vive de literatura'. Tá bom, mas e daí? Eu não escrevo para viver de literatura. Eu escrevo porque tenho prazer de escrever, e terminei vivendo de literatura. E, como eu, outras pessoas", finalizou.

Para assistir à entrevista completa, clique aqui.