Patrícia Marx, ex-Trem da Alegria, assume homossexualidade: ‘Sou lésbica com muito orgulho’

Redação - O Estado de S.Paulo

Aos 46 anos, cantora aproveitou Dia do Orgulho LGBTQIA+ para falar sobre o assunto nas redes sociais

A cantora Patrícia Marx

A cantora Patrícia Marx Foto: Instagram/@patriciamarxoficial

A cantora Patrícia Marx usou as redes sociais nesta segunda-feira, 29, para assumir a homossexualidade. Junho é o mês do Orgulho LGBTQIA+.

“Sou lésbica com muito orgulho! Estamos juntas, eu e o meu amor, Renata”, escreveu na legenda da foto em que aparece com a companheira no Instagram.

Patricia Marx se casou com o produtor musical Bruno E. em 1988, com quem teve seu único filho, Arthur.

Ao ser questionada sobre o assunto, a cantora respondeu um internauta: “Sempre fui (lésbica), mas antes não conseguia me assumir. Acontece muito, não?”, disse. 

Outros fãs também se manifestação apoiando a atitude da cantora. "Aproveitem a leveza de ser o que se é e sejam felizes! Sou fã desde criança e apoiaria você até se você namorasse um fauno!", brincou uma seguidora. E teve quem desse depoimento pessoal: "Já gostava muito de você, agora depois dessa descoberta te amo dobrado. Que vocês sejam sempre felizes. Hoje eu ainda não posso nem consigo me assumir, devido ao preconceito dentro da minha própria família. Mas um dia eu vou conseguir", escreveu um fã.

Em uma série de vídeos no stories do Instagram, Patrícia gravou um recado: "To aqui para agradecer o carinho de tanta gente no Instagram, da comunidade LGBTQI+. Me sinto muito acolhida, carinhosamente. Meu abraço, meu beijo. Não imaginava receber tanto carinho. Fiquei com muito medo, mas eu precisava falar. É um momento muito especial para mim e para a minha carreira. Amo vocês"

Além de ser uma das vozes do grupo Trem da Alegria, Patricia Marx conquistou todos ao participar de Clube do Criança, apresentado por Xuxa Meneghel. A cantora lançou o primeiro álbum solo em 1987, Paty, e, de lá pra cá, nunca parou de se apresentar.