Patrícia Abravanel minimiza LGBTfobia e gera críticas ao defender direito à intolerância

JOÃO PAULO DOS SANTOS - ESPECIAL PARA O ESTADÃO

Apresentadora comentou caso Rafa Kalimann e Caio Castro e pediu compreensão à comunidade LGBTQIA+

Patricia Abravanel, filha de Silvio Santos e apresentadora do SBT 

Patricia Abravanel, filha de Silvio Santos e apresentadora do SBT  Foto: Iara Morselli / Estadão

A apresentadora Patrícia Abravanel gerou críticas de seguidores nas redes sociais após minimizar a LGBTfobia e defender o direito das pessoas de serem intolerantes. “Por que não concordar em discordar? A gente pode ter opiniões diferentes, mas tudo bem”, disse a filha de Silvio Santos em seu programa Vem pra cá, do SBT.

No dia que se inicia o Mês do Orgulho LGBTQIA+, a apresentadora repercutiu a polêmica em torno de Rafa Kalimann e Caio Castro que ocorreu neste domingo, 30, após ambos postarem um vídeo em que o Pastor Claudio Duarte diz ser contra relacionamentos homoafetivos, quando fez comentários sobre o que pensava da situação.

“Eu acredito que nós, mais velhos, e nós que fomos educados por pais mais conservadores, a gente está aprendendo, a gente está se abrindo, mas eu acho que é um direito também das pessoas respeitarem. Por que não concordar em discordar?”, disse Abravanel.

Segundo ela, “tudo é muito polemizado” e que a comunidade LGBTQIA+ deveria compreender mais. Ao dizer a sigla, a apresentadora errou e não se importou em corrigir. “Eu acho que eles realmente foram educados de uma outra maneira. Então, assim como ‘LGDBTYH’, não sei, querem respeito, eu acredito que eles têm que ser mais compreensivos com aqueles que hoje ainda não entendem direito e estão se abrindo pra isso”.

As falas de Patrícia geraram protestos nas redes sociais e até reações de alguns artistas, como o cantor Jão que repostou o vídeo e chamou a apresentadora de “burra e tosca”.