Pai de Meghan Markle acusa filha de 'depreciar' a família real

Elizabeth Piper - Reuters

Thomas Markle afirmou que ela está jogando fora 'o sonho de toda garota' e que o casal está 'destruindo' a realeza

Thomas Markle e a filha Meghan Markle.

Thomas Markle e a filha Meghan Markle. Foto: Good Morning Britain/ITV handout via Reuters | Ian Vogler/Pool via Reuters

O pai de Meghan Markle, Thomas Markle, acusou a filha de "depreciar" a família real britânica em uma entrevista ao Channel 5, divulgada um dia após o Palácio de Buckingham confirmar que ela e o príncipe Harry não seriam mais membros ativos da monarquia.

O palácio anunciou no sábado, 18, que o casal não usará mais os títulos de 'alteza real' nem receberá dinheiro público, sendo responsável pelas próprias despesas.

A monarquia entrou em turbulência no início deste mês, quando Harry, de 35 anos, e Meghan anunciaram que queriam reduzir as funções oficiais da realeza e passar mais tempo na América do Norte.

Thomas Markle, que se afastou da filha, disse em um documentário que acredita que Meghan estava jogando fora "o sonho de toda garota".

"É decepcionante porque ela efetivamente conseguiu o sonho de toda garota. Toda garota quer se tornar uma princesa e ela conseguiu isso e agora ela está jogando fora, parece que ela está jogando isso fora por dinheiro", afirmou ele.

A entrevista foi filmada após o casal anunciar que se afastaria da família real como membros seniores. O Channel 5 divulgou parte da declaração neste domingo, 19, e disse que o documentário completo será transmitido "nas próximas semanas".

Thomas Markle descreveu a família real como "uma das maiores instituições longevas de todos os tempos", dizendo que quando Meghan se casou com Harry em maio de 2018, eles assumiram a obrigação de "fazer parte da realeza e representar a realeza".

"É como uma das maiores instituições de vida longa de todos os tempos", disse ele. "Eles estão destruindo, estão barateando, estão tornando-os surrados... Eles estão transformando-o em um Walmart com uma coroa agora. É algo ridículo, eles não deveriam estar fazendo isso."