Padre Fábio de Melo sobre mãe com coronavírus: 'Uma sensação de fracasso'

Redação - O Estado de S.Paulo

Religioso relata que dona Ana Maria se contaminou dias antes de receber a primeira dose da vacina

Dona Ana Maria, mãe do Padre Fabio de Melo

Dona Ana Maria, mãe do Padre Fabio de Melo Foto: Instagram/@pefabiodemelo

Padre Fábio de Melo usou as redes sociais nesta segunda-feira, 15, para contar aos seguidores que a mãe dele foi contaminada pelo novo coronavírus. Na semana passada, dona Ana Maria havia recebido a primeira dose da vacina contra covid-19.

"Há 11 dias eu postei esta foto. Foi um dia de alegria. Mas nem imaginávamos que já era tarde. Quatro dias antes de ser vacinada, minha mãe precisou ser hospitalizada. Minha sobrinha a acompanhou. Ficaram um pouco mais de 24 horas no hospital. Dois dias depois do dia da vacina, a Cris começou ter sintomas. Fez o teste e deu positivo", afirmou. 

O padre contou que a mãe dele também fez o teste para covid-19, mas havia dado negativo. "Retiramos ela da casa, isolamos, tomamos todas as providências. Mas anteontem, minha mãe começou a ter um pigarro. Por precaução fizemos o teste e recebemos a pior notícia. Ela está com covid. Hoje, logo cedo, precisou ser hospitalizada", lamentou.

 

 

 

No Instagram, o padre desabafou sobre a ansiedade ao ver a mãe doente: "Só Deus sabe a angústia que tomou conta de mim. Uma questão de 5 dias antes, horas, e a vacina teria gerado alguma imunidade. Há em mim uma sensação de fracasso. O número 5 nunca foi tão decisivo em minha vida".

O religioso também pediu orações pela saúde de Ana Maria. "Meus amigos queridos, peço que rezem por nós. Hoje, ao falar com ela através de uma chamada de vídeo, ela tentou me consolar: 'Fabinho, Deus só vai me levar quando Ele achar que chegou a minha hora. Fica tranquilo, você mora aqui, dentro de mim. E nunca será diferente'. Sim, mãe, nunca será diferente, nunca", disse.

O Padre Fábio de Melo aproveitou a oportunidade para cobrar das autoridades uma imunização mais veloz contra o coronavírus para todos os brasileiros. "Mais uma vez, um apelo às nossas autoridades: mobilizem-se para que a vacina não chegue tarde demais, como tem sido para muitos", concluiu.