Padre Fábio de Melo diz ser favorável a união civil de pessoas de mesmo sexo

João Pedro Malar* - O Estado de S.Paulo

‘Não é questão religiosa’, disse ele em uma live ao comentar a declaração do papa Francisco sobre o tema

O padre Fábio de Melo falou sobre a união civil entre pessoas de mesmo sexo, se colocando como favorável a elas

O padre Fábio de Melo falou sobre a união civil entre pessoas de mesmo sexo, se colocando como favorável a elas Foto: Iara Morselli

O padre Fábio de Melo deu sua opinião sobre a união civil entre pessoas de mesmo sexo em uma live na quinta-feira, 29, e disse concordar com a posição do papa Francisco sobre o tema. O chefe da Igreja Católica afirmou ser favorável à união em um documentário.

Conversando com o empresário Marcus Montenegro, Fábio de Melo destacou que já havia se posicionado antes sobre o tema: “Em 2013 eu dei uma entrevista em que fui execrado pela ala mais conservadora da Igreja [Católica] porque eu fiz justamente essa distinção, nós precisamos saber distinguir o que é uma regra religiosa de uma civil”.

“Porque somos religiosos, nós não temos que impor às pessoas que não são [religiosas] as nossas regras, ou impedir essas pessoas de terem seus direitos civis garantidos. Sempre considerei uma injustiça”, disse o padre.

Ele comentou que a fala do pontífice não significa que padres precisarão realizar casamentos entre pessoas de mesmo sexo em igrejas. Segundo ele, Francisco “fez uma distinção entre a instância religiosa e a jurídica”.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Marcus Montenegro-CEO (@montenegrotalentsoficial) em

“Não é uma questão religiosa, é uma questão civil, e tem que ser resolvido nas instâncias civis. Não cabe a mim como padre ficar impondo ao outro uma regra que não me diz respeito”, disse ele.

O padre também afirmou que “uma conduta religiosa não pode incorrer em injustiça”, e destacou a necessidade do posicionamento do papa. “Não podemos ficar de olhos fechados para esses relacionamentos, que não têm seus direitos reconhecidos.”

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais