ONU Mulheres se pronuncia sobre declaração de Juliana Paes sobre feminismo

Redação - O Estado de S.Paulo

Atriz é embaixadora da entidade em campanhas para eliminação da violência contra as mulheres desde 2015

Juliana Paes disse, em entrevista, que acha errado 'esse desejo de igualdade com os homens a todo custo'.

Juliana Paes disse, em entrevista, que acha errado 'esse desejo de igualdade com os homens a todo custo'. Foto: Globo/Paulo Belote

Na última segunda-feira, 10, a entidade da Organização das Nações Unidas para mulheres, a ONU Mulheres Brasil, publicou uma nota oficial em que lamenta a declaração de Juliana Paes sobre o feminismo. A atriz é embaixadora da entidade desde 2015.

Na semana passada, a atriz disse, em entrevista à Veja, que discorda de "um esforço excessivo em querer ser igual aos homens" e relacionou o feminismo a um movimento de mulheres que são contra a feminilidade e 'queimam sutiãs'.

"A ONU Mulheres Brasil lamenta a declaração sobre feminismos atribuída à Juliana Paes, defensora para a Prevenção e a Eliminação da Violência contra as Mulheres da ONU Mulheres Brasil, veiculada em entrevista na última semana", diz o comunicado.

"Desde novembro de 2015, Juliana Paes presta apoio voluntário e regular à ONU Mulheres em campanhas públicas para o fim da violência contra as mulheres, em defesa da Lei Maria da Penha e do direito das mulheres e meninas participarem em condição de liberdade e sem violência de todos os espaços, além da defesa pública da garantia da inclusão da temática da igualdade de gênero na educação. (...) A ONU Mulheres está certa de que os movimentos feministas e de mulheres são fundamentais para o debate político qualificado e construtivo acerca das realidades das mulheres, condições de vida e transformação das desigualdades de gênero, raça e etnia a partir da inclusão ativa das mulheres nas negociações políticas", completa o texto.

O comunicado oficial completo pode ser lido no site da ONU.