‘Nunca presenciei tamanho desrespeito’, diz Romero Britto sobre vídeo

João Pedro Malar* - O Estado de S.Paulo

Artista gravou um depoimento que foi exibido no ‘Conversa com Bial’ e falou sobre a gravação do momento em que uma mulher jogou uma escultura sua no chão

Trecho do depoimento que o artista Romero Britto enviou para o 'Conversa com Bial'

Trecho do depoimento que o artista Romero Britto enviou para o 'Conversa com Bial' Foto: Rede Globo / Reprodução

O artista plástico Romero Britto gravou um depoimento sobre um vídeo que circulou nas redes sociais mostrando uma mulher jogando uma escultura sua no chão. A fala foi exibida no Conversa com Bial da terça-feira, 18, junto com uma entrevista de Romero, gravada antes da cena viralizar.

“Falou-se de tudo de Romero Britto, sobre sua personalidade, sua arte, seu talento, sua falta de talento, sobre seu cabelo, sotaque, sua fortuna”, destacou Pedro Bial. O apresentador explicou que a produção do programa pediu um depoimento de Romero e Bial chegou a enviar perguntas para o artista, mas ele enviou um depoimento sem respondê-las.

No vídeo, Romero destaca que foi “vítima” e que a peça de porcelana jogada no chão por uma mulher, que alegou ser dona de um restaurante e que Romero desrespeitou os funcionários dela, poderia ter machucado as pessoas no local ao quebrar.

“Nunca presenciei tamanho desrespeito em toda a minha carreira”, disse o artista. Ele também ressaltou que o vídeo é de 2017, e lamentou a situação: “Infelizmente existem pessoas que querem ficar famosas às custas de outras, e levam ao extremo”.

Romero disse que não “admite desrespeito”, que não teve intenção de desrespeitar alguém que busca levar “alegria, amor, esperança para todos” com sua arte. Segundo ele, o episódio mostrou “o tribunal da internet aplaudindo e fazendo apologia ao ódio. Não quero alimentar esse assunto ou a mídia, prefiro que a consciência dela a julgue”.

“A minha arte desperta algum tipo de sentimento positivo, de alegria, e por isso é tão celebrada”, comentou o artista. Romero concluiu o vídeo com uma crítica, defendendo que as pessoas deveriam focar em “encontrar o próprio sucesso, ajudar o mundo e serem relevantes ao invés de criticar os outros” e que “o mundo precisa de mais amor e esperança”. 

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais