‘Não sei porque não conseguimos consertar o Brasil’, declara Tarcísio Meira

Camila Tuchlinski - O Estado de S.Paulo

No ‘Conversa com Bial’, ator, de 84 anos, falou também sobre desigualdade social no País

O ator Tarcísio Meira.

O ator Tarcísio Meira. Foto: Tiago Queiroz/Estadão

Aos 84 anos de idade, Tarcísio Meira não se lembra de ter vivido em um Brasil sem crise política. Ao mesmo tempo, o ator não consegue entender os motivos que levam o País a atual desigualdade social. 

“Não sei porque não conseguimos consertar o Brasil. É um País muito rico, com gente muito boa, especial, e continuamos pobres. Existe uma pobreza no Brasil, é incrível, é revoltante. Eles (políticos) precisam dar um jeito nisso o quanto antes”, desabafou durante o programa Conversa com Bial desta terça-feira, 5.

Com uma carreira de 60 na televisão, Tarcísio Meira revelou que não existe beijo técnico. “Não tem isso não! Beijo é beijo. Não tem como ser técnico. É bom! Os homens me odiavam”, brincou o ator, que já perdeu a conta de quantos beijos protagonizou em novelas na TV. 

Talvez, por pensar assim, Tarcísio tenha se apaixonado completamente por Glória Menezes, com quem é casado há 58 anos. O primeiro beijo deles foi justamente em cena. “Foi no fim de uma peça. Eu a beijava e a matava. Enforcando e beijando”, relembra o ator. Ele afirma que o companheirismo continua mesmo após décadas de relacionamento. “A gente se gosta muito, se curte muito. Restaurante, cinema, teatro. A gente sai, não fica muito em casa”, garantiu.

Tarcísio Meira protagonizou uma das novelas de maior Ibope da história da TV: Irmãos Coragem. Boni chegou a dizer que a trama deu mais audiência que a final da Copa do Mundo de 1970: “Diz ele que nós demos 93% de Ibope e o jogo deu 92%”, afirma Tarcísio.

Em outubro, o editor do Caderno 2 do Estado, Ubiratan Brasil, entrevistou o ator para falar também sobre a nova temporada da peça O Camareiro, que retorna aos palcos no Teatro Faap.

Assista ao vídeo: