Ministério Público investiga filme de Danilo Gentili

Redação - O ESTADO DE S.PAULO

Investigação visa apurar a omissão da classificação indicativa em peças publicitárias

Danilo Gentili posa ao lado de atores mirins nos bastidores de seu primeiro filme

Danilo Gentili posa ao lado de atores mirins nos bastidores de seu primeiro filme Foto: Divulgação

Desde que o filme Como se Tornar o Pior Aluno da Escola estreou no cinema as polêmicas não param de aparecer. Desta vez, envolveu até o Ministério Público de São Paulo, que instaurou um inquérito para investigar as peças de divulgação do longa de Danilo Gentili.

A ação do MP foi movida no dia 11 de outubro, véspera da estreia do filme, pelo promotor de Justiça Eduardo Dias Ferreira. A investigação visa apurar a omissão da classificação indicativa do filme em certas peças publicitárias como o trailer e o banner. Informação indispensável que é assegurada pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Ainda de acordo com o documento, no local apropriado onde deveria conter a faixa etária indicada para assitir aquele conteúdo havia a frase "o pior aluno da escola nunca verifica a classificação indicativa do filme". O longa, no entanto, recebeu classificação indicativa para maiores de 14 anos, e o trailer para maiores de 12.

O livro em que o filme foi inspirado também já passou por um processo parecido. Na época, em 2010, a editora responsável pela publicação se comprometeu a atualizar não só a classificação da obra para 18 anos, mas também o lugar onde essa informação estava disposta: na capa da obra.

Confira abaixo uma parte do inquérito:

Parte do inquérito instaurado pelo promotor de Justiça Eduardo Dias Ferreira

Parte do inquérito instaurado pelo promotor de Justiça Eduardo Dias Ferreira Foto: Ministério Público de São Paulo/ Divulgação