Mayim Bialik é acusada de culpar as vítimas de assédio sexual de Harvey Weinstein

Redação - O Estado de S.Paulo

Após atrizes de Hollywood denunciarem assédio sexual praticado pelo produtor, Mayim escreveu relato sobre o ambiente machista de Hollywood

Atriz se viu no meio de polêmica após texto no jornal 'New York Times'

Atriz se viu no meio de polêmica após texto no jornal 'New York Times' Foto: Mario Anzuoni / Reuters

Mayim Bialik, a Amy de The Big Bang Theory, sofreu acusações nas redes sociais de culpabilizar mulheres que tenham sofrido assédio sexual. A reação se deu por um relato de Mayim em que fala do ambiente machista de Hollywood e como ela se comporta nesse ambiente para “evitar esse tipo de atitude”.

O texto da atriz foi publicado no jornal The New York Times em decorrência da série de denúncias de assédio e estupro feita por atrizes contra o produtor de cinema Harvey Weinstein. Entre as vítimas estão Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow, Cara Delevingne e Lea Seydoux.

Amy contou que sempre se sentiu desconfortável por não se encaixar nos padrões de beleza da indústria cinematográfica e que “sempre fez escolhas conservadoras quando era jovem” por influência de seus pais, que a aconselhavam a não usar maquiagem nem fazer manicure. “Eu segui o conselho da minha mãe de não aceitar ninguém me chamando de ‘baby’ nem exigindo abraços no set”, contou.

Ela continuou dizendo que não teve de se preocupar tanto com assédio porque não se enquadrava num “padrão inalcançável de beleza”. No entanto, isso não foi suficiente para que ela se sentisse segura.

“Eu aindo tomo decisões que considero protetoras e inteligentes. Eu decidi que o meu lado sexual é melhor reservado para situações privadas com quem eu sou mais íntima. Eu me visto modestamente. Eu não tenho uma política de flertar com homens”, relatou.

Ela reconheceu que suas escolhas podem ser vistas como repressivas, mas ponderou que “não podemos ser ingênuos com o mundo em que vivemos”. E, apesar de acreditar que a cultura machista acabará, isso não acontecerá “do dia para a noite”.

Seus comentários foram mal-recebidos por internautas e também por celebridades. Ela foi acusada de culpar as vítimas de assédio pelo comportamento de seus assediadores.

A atriz Patricia Arquette contou sua experiência  de assédio quando adolescente e disse que “não flertava com homens, aos 12 anos, quando voltava da escola e percebia que eles se masturbavam ao vê-la passar”.

Tradução: "Mayim, eu preciso dizer que eu não me vestia de modo provocativo quando tinha 12 e, ao voltar andando da escola para casa, homens se masturbavam ao me ver. Não são as roupas"

Confira algumas reações:

Tradução: "Há muita coisa errada com o texto da Mayim Bialik, mas uma coisa: Ser uma garota estranha com um nariz grande nunca me protegeu de assédio"

Tradução: Impressionante como a Mayim Bialik escreveu um texto horrível e depois o defendeu do jeito mais condescendente possível

Após receber as críticas, Mayim agradeceu pelo feedback, mas disse que suas palavras foram usadas fora de contexto para dizer que ela culpava as vítimas de assédio por seu modo de vestir ou de se comportar: “Qualquer um que me conheça e o meu feminismo sabe que é um absurdo e que meu texto não dizia isso”.

Confira a íntegra da resposta da atriz:

Tradução: "Me contaram que meu texto para o New York Times teve amplo alcance e eu agradeço todo o feedback. Eu também vejo que muitas pessoas tiraram minhas palavras do contexto de Hollywood e as mexeram para fazer parecer que (Deus que me perdoe!) eu culpo uma mulher por seu assédio por conta de sua vestimenta ou comportamento. Qualquer um que me conheça ou conheça meu feminismo sabe que é um absurdo e que meu texto não falava isso. É triste ver como as pessoas estão tratando isso quando eu basicamente vivo para melhorar as coisas para as mulheres"