Matt Damon pede desculpas após dizer que homens que não assediam deveriam ser mais valorizados

Redação - O Estado de S.Paulo

'Eu quero ser parte da mudança, mas devo ficar no banco de trás e calar minha boca por enquanto', disse o ator

Matt Damon.

Matt Damon. Foto: REUTERS/Andrew Kelly

Matt Damon pediu desculpas por seus comentários sobre abuso sexual e sobre o movimento #MeToo. Há um mês, o ator disse que há diferentes níveis de assédio e abuso sexual e pediu mais atenção a "caras que não fazem esse tipo de coisa". A afirmação foi dita em entrevista à ABC News.

"Eu realmente queria ter ouvido mais antes de me pronunciar. Eu não quero debochar da dor de ninguém com nada que eu digo ou faço. Eu sinto muito mesmo. Muitas mulheres [que falaram sobre isso] são minhas amigas e eu as amo, e eu respeito e apoio o que elas estão fazendo e quero ser parte da mudança... mas eu devo ficar no banco de trás e calar minha boca por enquanto", falou ele em entrevista ao Today na última terça-feira, 16.

Em dezembro, Damon falou: “Tem uma diferença de dar uma palmada na bunda de alguém e estuprar ou molestar uma criança, certo? Ambos os comportamentos precisam ser erradicados, mas não associados, certo?". Ele ainda falou que os homens que não fazem isso deveriam ser valorizados. "Estamos neste momento importante, e é ótimo, mas eu acho que uma coisa que não está sendo falada é que tem um monte de caras — a maioria dos homens com quem eu trabalhei — que não fazem este tipo de coisa e cujas vidas não vão ser afetadas”, afirmou ele.

Após a declaração, Damon recebeu críticas da atriz Minnie Driver, que afirmou ao The Guardian que homens não podem “falar a mulheres sobre o abuso que elas sofrem” e que não são “capazes de entender o que é assédio em uma escala diária".