Maisa Silva e Marina Ruy Barbosa fazem pedidos pelo adiamento do ENEM

João Pedro Malar* - O Estado de S.Paulo

Além das atrizes, outros artistas como Eliana, Fernanda Paes Leme e a campeã do ‘BBB 20’ Thelma Assis também fizeram comentários a favor da mudança de data

A apresentadora e atriz Maisa Silva tem usado as redes sociais para pedir o adiamento da prova

A apresentadora e atriz Maisa Silva tem usado as redes sociais para pedir o adiamento da prova Foto: Instagram/@maisa

As atrizes Maisa Silva e Marina Ruy Barbosa aderiram, respectivamente na sexta-feira, 15, e sábado, 16, à campanha Adia Enem, que pede a alteração da data de realização do Exame Nacional do Ensino Médio devido à pandemia do novo coronavírus. Além das duas, outros artistas têm feito publicações e falado sobre o tema em lives.

Maisa se posicionou pela primeira vez em 15 de maio, quando publicou uma foto vestindo uma camiseta com a hashtag #AdiaENEM. Ela falou novamente sobre a questão em uma live com a apresentadora Eliana no domingo, 17, em que as duas se colocaram a favor do adiamento.

“Vem uma pandemia, muito luto acontecendo, pessoas perdendo entes queridos, jovens que o tempo que era para se dedicar ao Enem, estão tendo que trabalhar, porque os pais perderam o emprego. Vem ansiedade, a preocupação. E a pessoa que não tem acesso à internet [...] Então assim, tem que adiar, para ser mais igual, mais justo, quem que está com cabeça para isso agora?”, comentou Maisa.

A atriz Marina Ruy Barbosa também falou sobre o tema: “a discussão em torno do Enem só evidencia que aquela máxima “se esforça, você consegue” é uma ilusão. Que tristeza ver tanta gente tão distante do mínimo necessário para ter saúde, do mínimo necessário para estudar”. Ela destacou que apesar de não vivenciar essa realidade, busca usar a fama para dar voz às pessoas que, no momento, encontram dificuldades para estudar.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Nunca desconfiaram de mim por causa da cor da minha pele. Jamais precisei mentir sobre a minha sexualidade. Não sei o que é passar fome. Não sei o que é me privar de estudar para trabalhar. Por isso, não posso falar o que todas essas pessoas sentem, vivem e enfrentam. Não carrego essa dor comigo. Não posso falar por elas. Tenho essa consciência. Mas dar voz a essas pessoas, a essas lutas é possível sim. Está ao meu alcance, ao nosso alcance e essa necessidade é urgente. A pandemia tá aí, jogando na nossa cara, com ainda mais força, as diferenças sociais, econômicas. E não vamos nos iludir. Quando isso tudo passar (porque vai passar! ), essa distância social tende a aumentar. A discussão em torno do Enem só evidencia que aquela máxima “se esforça, vc consegue” é uma ilusão. Que tristeza ver tanta gente tão distante do mínimo necessário para ter saúde, do mínimo necessário pra estudar. Mais uma vez digo, essa realidade nunca me pertenceu. Mas me sensibilizar com isso e tentar, do jeito que sou capaz, a ajudar a modificar essa situação tem se tornado cada vez mais importante pra mim. A SOBREVIVÊNCIA, inclusive mental precisa estar acima de qualquer calendário. E que a minha opinião aqui, sirva como um espaço de debate, se você concorda ou não, deixe um comentário aqui explicando e vamos manter um diálogo e refletir juntos, ok?

Uma publicação compartilhada por Marina Ruy Barbosa (@marinaruybarbosa) em

Thelma Assis, campeã do Big Brother Brasil 20, também disse que é a favor do adiamento, além das atrizes Fernanda Paes Leme e Fernanda Concon. Outras personalidades como Gabriela Prioli, Sophia Abrahão e Bela Gil também fizeram comentários na publicação de Marina, apoiando a fala da atriz.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Exame Nacional do Ensino Médio ou Exame de Privilégios do Ensino Médio ? #ADIAENEM

Uma publicação compartilhada por Fernanda Concon (@fernandaconcon) em

No sábado, 16, as universidades federais do Estado de São Paulo lançaram um manifesto solicitando o adiamento da prova, a maior do tipo no Brasil. “Nosso objetivo é evitarmos que ocorra um grave prejuízo aos estudantes do ensino médio no acesso ao ensino superior que, em função da pandemia, estão submetidos a condições muito desiguais de isolamento social e de acesso às ferramentas de ensino remoto, agravadas pelas enormes desigualdades sociais em todo o Brasil e, em especial, no Estado de São Paulo”. Até o momento as inscrições para o Enem de 2020 seguem abertas.

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais