Lupita Nyong'o sobre 'Pantera Negra': 'Ter pessoas negras no centro da narrativa é muito animador'

Redação - O Estado de S.Paulo

Atriz interpreta Nakia no filme, que estreia em 15 de fevereiro no Brasil

Lupita Nyong'o. 

Lupita Nyong'o.  Foto: REUTERS/Lucas Jackson

Em entrevista ao Hollywood Reporter, Lupita Nyong'o falou sobre sua carreira, família e assédio sexual. A atriz, que ganhou o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por seu papel em 12 Anos de Escravidão em 2014, contou que decidiu falar sobre o assédio que sofreu de Harvey Weinstein após ver o artigo no The New York Times no qual várias mulheres denunciavam o produtor.

Ela disse que ele a convidou para gravar em sua casa, e falou: "Vamos direto ao ponto: eu tenho um quarto privado lá em cima onde nós podemos comer o resto da nossa refeição". A atriz recusou: "Com todo o respeito, eu não seria capaz de dormir a noite se eu fizesse o que você está pedindo". Desde esse episódio, ela nunca mais voltou a trabalhar com ele.

Lupita disse ter se sentido muito mal após ler o artigo. "Eu me senti desconfortável com o meu silêncio, e eu queria me livrar desse sentimento e contribuir com a discussão. Eu senti que era isso que eu precisava fazer, quase que visceralmente. Eu não conseguia dormir, eu precisava extravasar isso", disse. A atriz contou que ficou dias escrevendo seu relato, depois mostrou para sua mãe para analisar. "Eu tinha que falar com ela sobre isso porque era algo que já havíamos discutido. Ela ficou muito tocada e me apoiou muito", falou.

A atriz ainda conversou sobre seu papel em Pantera Negra, filme sobre o primeiro super-herói negro da Marvel. Ela interpreta Nakia, vilã apaixonada pelo herói (interpretado por Chadwick Boseman). Na trama, ela precisou ficar acampada por seis semanas antes das gravações e aprender algumas lutas. "Nós tínhamos que treinar juntos [ela e Boseman], depois tínhamos que treinar técnicas individuais. Nakia é uma lutadora de rua, então eu tive de aprender jiu-jitsu e capoeira e também a usar alguns tipos de arma", falou.

As lutas, porém, não são grande novidade para Lupita. "Eu pratiquei artes marciais em toda a minha vida, desde que eu tinha uns sete anos, eu acho. Taekwondo, capoeira, Muay Thai. Sempre foi muito interessante para mim porque, nas artes marciais, há uma relação entre a mente e o corpo. Você não consegue fazer direito se está com raiva. Como você exerce o poder com a mente clara é o que eu realmente acho interessante", contou.

Lupita acredita que ter um super-herói negro é algo muito importante. "Nós estamos criando um mundo de inspirações onde as pessoas africanas realmente estão no comando de seus próprios destinos. E isso realmente me motivou e deixou a pequena menininha dentro de mim pulando de alegria. Só de ter pessoas africanas, pessoas negras, no centro da narrativa, já é muito animador", afirma. Pantera Negra estreia em 15 de fevereiro no Brasil.