Luiz Carlos, do Raça Negra, explica comentário sobre abuso sexual no 'Encontro'

Redação - O Estado de S.Paulo

'Peço que não confundam excesso de zelo com acreditar que meninos e homens sejam corretos em suas atitudes maldosas', disse

Durante debate sobre abuso sexual infantil no 'Encontro', o músico falou que pais tinham que se atentar a roupa das filhas. 

Durante debate sobre abuso sexual infantil no 'Encontro', o músico falou que pais tinham que se atentar a roupa das filhas.  Foto: Twitter/@EncontroFatima

Após muitas reações negativas ao seu comentário no Encontro, o músico Luiz Carlos, do Raça Negra, se explicou sobre sua fala durante debate sobre abuso sexual infantil. Na última quinta-feira, 15, o cantor disse que os pais deveriam prestar atenção nas roupas que as filhas vestem para evitar assédio.

"Tenho 60 anos e tive uma criação muito rígida, minha convicção é plena em dizer que não existe  justificativa para violência. Eu me referia a pular fases, criança é criança, só isso. O mau elemento enxerga com outros olhos o que nós enxergamos com naturalidade. A nossa cultura sempre foi machista, mas espero que esta e as próximas gerações possam se transformar", disse ele em comunicado enviado ao E+.

"Só peço que não confundam excesso de zelo num mundo doentio com acreditar que meninos e homens sejam corretos em suas atitudes maldosas. Peço desculpas se ofendi ou fui mal interpretado", finalizou.

No Encontro, o artista falou: "A gente tem que prestar atenção também na roupa. Falar 'minha filha, não achei legal essa roupa. Você vai para a escola assim?'. De repente, pela maluquice dele [do abusador], ele acha que aquele comportamento daquela menina, de se vestir e se arrumar como a mãe", disse Luiz, quando foi interrompido por Fátima Bernardes e pelos outros convidados, que disseram que a mulher pode usar a roupa que quiser e isso não justifica o abuso.

VEJA TAMBÉM: Momentos em que a plateia do Encontro nos fez sentir vergonha alheia