Jovem que chamou príncipe Harry de 'traidor da raça' é preso

Agência - Reuters

Michal Szewczuk, de 19 anos, insinuou que o duque de Sussex deveria ser baleado; ameaça veio meses após o casamento dele com Meghan Markle

Príncipe Harry foi ameaçado após se casar com Meghan Markle.

Príncipe Harry foi ameaçado após se casar com Meghan Markle. Foto: Kirsty Wigglesworth/AP Photo

Um jovem neonazista que chamou o príncipe Harry de "traidor da raça" foi condenado a quatro anos e três meses de prisão nesta terça-feira, 18, segundo noticiou a rede BBC. Michal Szewczuk, de 19 anos, insinuou que o herdeiro do trono deveria ser baleado. A ameaça veio meses após o casamento dele com a atriz norte-americana Meghan Markle.

Szewczuk publicou propaganda de extrema-direita na internet que incluiu uma imagem do duque de Sussex com uma arma apontada para a cabeça e a legenda: "Te vejo mais tarde, traidor da raça". A imagem foi postada meses depois do casamento de Harry com Meghan, filha de mãe negra e pai branco.

O jovem e o co-acusado Oskar Dunn-Koczorowski, de 18 anos, ambos cidadãos poloneses, se declararam culpados de incentivar o terrorismo, e Szewczuk também assumiu cinco acusações de posse de material passível de ser usado por alguém que planeja um ato terrorista.

"Dunn-Koczorowski e Szewczuk se veem claramente como superiores à maioria da sociedade e sentem que sua tarefa é expressar suas crenças, ensinando outros por sua vez", disse o detetive-chefe Martin Snowden, chefe de policiamento de contraterrorismo do norte da Inglaterra.

"A quantidade considerável de material que eles postaram em canais de redes sociais não só reflete suas crenças extremistas, mas pretendia incentivar outros a realizarem atos desprezíveis", completou o agente. Dunn-Koczorowski foi condenado a 18 meses de prisão.

Outras postagens dos dois incluíram demonstrações de apoio ao assassino em série norueguês de extrema-direita Anders Breivik e ao grupo neonazista Sonnenkrieg Division.