Jim Carrey revela que queria 'destruir' Hollywood

Redação - O Estado de S.Paulo

Em entrevista, o ator explica que estava cansado da indústria cinematográfica

Jim Carrey estreia série independente sobre relações familiares.

Jim Carrey estreia série independente sobre relações familiares. Foto: AP

Em tom de desabafo, Jim Carrey justificou o afastamento dele de Hollywood. "Não queria mais ficar no ramo. Não gostava da maneira com que empresas estavam tomando o controle de tudo", revela. O ator ganhou destaque na imprensa nos últimos tempos por causa do trabalho como cartunista político. No perfil oficial no Twitter, Carrey publica as obras com uma pitada de crítica, inclusive ao presidente Donald Trump.

Na entrevista para a revista Hollywood Reporter, o ator se mostra satisfeito com o novo desafio: "Eu realmente gostei do controle da pintura, de não ter um júri diante de mim dizendo a quem eu devo agradar". Atualmente, o astro prefere produções mais independentes. Em 31 de agosto (sem data para estreia no Brasil), ele lançará, nos Estados Unidos, a série Kidding, sobre um ex-apresentador de programa infantil que luta para manter a sanidade mental enquanto a família está destruída.

 

ASSISTA AO TRAILLER: 

 

À revista, Jim Carrey também fala sobre luto. A ex-namorada dele cometeu suicídio em 2015. "Enfrentei uma enorme perda. Agora entendo como a correnteza do luto pode te agarrar". Além disso, o ator contou como a fama afeta negativamente a filha, que afirma que as amiguinhas só se aproximam dela por causa do pai.