James Gunn será roteirista do próximo 'Esquadrão Suicida'

Redação - O Estado de S.Paulo

Diretor comandava 'Guardiões da Galáxia', da rival Marvel, e foi demitido após tuítes que envolviam estupro e pedofilia

James Gunn. 

James Gunn.  Foto: Jordan Strauss/Invision/AP

Após ser demitido de Guardiões da Galáxia, da Marvel, James Gunn está em conversas com a Warner Bros. para comandar a sequência de Esquadrão Suicida, da DC

A Warner confirmou que estão sendo realizadas conversas com Gunn, e que seus planos para o Esquadrão Suicida não são exatamente uma continuação do roteiro de David Ayer, e sim uma abordagem completamente nova. O primeiro filme faturou 747 milhões de dólares quando foi lançado, em 2016, mas foi um fracasso de crítica.

Em julho, a Disney demitiu Gunn após piadas envolvendo racismo e pedofilia que ele escreveu há anos no Twitter virem à tona. A demissão causou uma onda de revolta, e até o elenco fez um comunicado em apoio ao diretor e roteirista, implorando para a Disney (que controla a Marvel) readimití-lo. Entretanto, o estúdio não voltou atrás na decisão.

Gunn pediu desculpas pelos tuítes, feitos entre 2009 e 2012. "Minhas palavras de quase uma década atrás eram, na época, totalmente fracassadas e infelizes esforços para ser provocativo. Eu me arrependi deles há muitos anos não só porque eles foram estúpidos, nada engraçados, loucamente insensíveis e certamente não tão provocativos como eu esperava, mas também porque eles não refletem a minha pessoa. Já faz algum tempo", disse na época.

* Com informações da Associated Press