'Já são discriminados na rua, se também forem dentro de casa não têm para onde ir', diz Gretchen

Redação - O Estado de S.Paulo

Cantora falou sobre a mensagem que deseja passar na Parada LGBT

Thammy Miranda ao lado de sua mãe, Gretchen.

Thammy Miranda ao lado de sua mãe, Gretchen. Foto: Instagram / @thammymiranda

A cantora Gretchen falou sobre o que pretende transmitir ao público durante a Parada do Orgulho LGBT deste ano, que ocorrerá em São Paulo no domingo, 3, em entrevista ao SP1.

"Represento os pais de todo o orgulho LGBTQ+. Então, quero transmitir que eles nunca deixem de amar, que nunca deixem de ver seus filhos como filhos, independente da escolha, da opção, do gênero, não importa. O que importa é que são filhos, e a coisa que eles mais precisam é do apoio da família", disse.

Em seguida, concluiu: "Eles já são discriminados na rua. Se eles forem discriminados também dentro de casa, não têm mais pra onde ir. Então eles vão correr o risco de serem machucados,  maltratados, mas terem sempre o colinho do pai ou da mãe pra correr quando precisar."

Animada, também falou a respeito da parceria que pretende fazer com o DJ Alok: "Estamos em conversações, mas acho que vai ser incrível, porque o público dele é teen. Hoje meu grande público é teen, só que tenho todo o popular. É uma forma de juntar o popular e o cult, vai ser incrível."

Gretchen ainda relembrou que já considerava sua aposentadoria antes de retornar aos holofotes: "Já tinha decidido que ia parar. Já tinha me aposentado, por isso me mudei pra Europa, tô morando lá há cinco anos. E nesse momento que eu falei 'Agora chega, vou ser dona de casa, cuidar dos meus filhos', aconteceu tudo isso. A Katy Perry me descobriu, os jovens me descobriram com os memes e os GIFs."

VEJA TAMBÉM: Momentos da carreira de Gretchen

Arquivo / Estadão
Ver Galeria 21

21 imagens