Irmão de Rodrigo Mussi diz que mãe visitou ex-BBB dois dias após o acidente

Redação - O Estado de S.Paulo

Diogo Mussi respondeu a perguntas dos seguidores no Instagram e contou que não mantém contato com a mulher

Diogo Mussi respondeu a perguntas dos seguidores no Instagram e contou sobre a relação dele e de Rodrigo com a mãe.

Diogo Mussi respondeu a perguntas dos seguidores no Instagram e contou sobre a relação dele e de Rodrigo com a mãe. Foto: Instagram/@rodrigo.mussi

Diogo Mussi, irmão de Rodrigo Mussi, respondeu a perguntas dos seguidores nos stories do Instagram nesta quarta, 1º, e contou sobre a relação deles com a mãe.

Diogo afirmou que Rodrigo foi o primeiro a ser expulso da casa da mulher, que também o expulsou logo em seguida. Os dois e Rafael Mussi, o terceiro irmão, foram morar com o pai, que morreu em um acidente.

"Eu não aceitava a mulher dele", escreveu Diogo, que chegou a morar com amigos e com a avó. "No fim, nosso pai faleceu e deixou tudo o que tinha para a mulher. Depois de 8 anos, consegui vencer na Justiça", afirmou.

O irmão disse que a mãe chegou a visitar Rodrigo algumas vezes no Hospital das Clínicas, mas que a primeira visita ocorreu dois dias após o acidente. "Apareceu no hospital na sexta-feira à noite e o Rod deu entrada na madrugada de quarta para quinta", relatou.

Diogo afirmou não possuir nenhum contato com ela e também não querer uma reaproximação. Questionado sobre o motivo de os três terem sido expulsos de casa, ele disse acreditar ter sofrido abandono.

"Os filhos sempre pagam pelos erros dos pais. As sequelas do abandono são imensas e difíceis de lidar. Precisamos falar mais disso", escreveu.

Diogo ainda contou que, dos três, foram ele e Rodrigo quem mais sofreram as consequências da escolha da mãe. Segundo o irmão, Rafael mora com a mulher desde a morte do pai.

O ex-BBB recebeu alta no final de abril e concedeu a primeira entrevista após o acidente no último domingo, 29, ao Fantástico.

Na ocasião, ele chegou a comentar sobre a relação com a mãe e revelou ter sofrido violência sexual por três anos. "Minha mãe ia trabalhar e me deixava com uma mulher que abusava de mim", contou.