Irmão de princesa Diana critica 'The Crown': 'não é verdade'

João Pedro Malar* - O Estado de S.Paulo

'Acho que ajudaria se no começo de cada episódio falassem que não é real, mas baseado em fatos reais', afirmou Charles Spencer

Charles e Diana. Série narra crise conjugal do casal e problemas de Diana com bulimia

Charles e Diana. Série narra crise conjugal do casal e problemas de Diana com bulimia Foto: NETFLIX

O conde Charles Spencer, irmão da princesa Diana, criticou a série The Crown na quarta-feira, 25. Segundo ele, a produção da Netflix deveria deixar mais claro que trata-se de uma obra de ficção baseada em acontecimentos reais.

Perguntado sobre a série no programa televisivo Lorraine, Spencer disse que não é um “grande espectador”. “Vi alguns episódios no passado, mas não vi nenhum dos mais recentes, apesar de a minha esposa ter visto”, disse o jornalista e autor de livros de história.

A 4ª temporada da série sobre a família real britânica foi lançada no dia 15 de novembro, e introduziu a princesa Diana, retratando seu casamento com o príncipe Charles.

“Eu escrevo sobre história, eu informo que o que eu escrevo não é ficção, então se alguém ler, vai saber que é o que vão receber, e isso é igual com todos os historiadores. Eu acho que ajudaria bastante The Crown se, no começo de cada episódio, eles falassem que não é verdade, mas é baseado em alguns eventos reais, porque aí todos entenderiam que é um drama”, defendeu ele.

“Obviamente a Netflix quer fazer muito dinheiro, porque as pessoas estão nesse negócio, mas eu me preocupo que as pessoas achem que é algo totalmente verdadeiro”, continuou Spencer. Ele destacou que não ficou satisfeito com a forma como a sua avó materna, Ruth Roche, mais conhecida como baronesa de Fermoy, foi retratada na série.

Na produção, a baronesa, que morreu em 1993, é responsável por “educar” Diana em relação às normas da família real: “Ela foi retratada de um jeito particularmente desagradável, não é como ela era. Minha avó pode ter morrido há muito tempo, infelizmente, mas ela tem uma filha viva, 10 netos vivos, é justo que as pessoas sejam destruídas desse jeito? Eu acho que não”.

Spencer disse que “é preciso ser honesto com o consumidor”, e informar quando uma obra é ficção. “Eles [os espectadores] estão consumindo algo que assumem que é muito, muito realista, e, pelo que eu sei, e eu não sei muitas coisas pois não estava lá, mas do que eu sei, não é preciso”, afirmou o autor.

Em sua página, a Netflix define The Crown como uma "série dramática [que] segue a política, rivalidades e relacionamentos da rainha Elizabeth II e os eventos que fizeram a história".

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais