Investigadores de 'Rust' obtêm mandado de busca para apreender celular de Alec Baldwin

Julia Jacobs e Graham Bowley - The New York Times

Ação ocorre quase dois meses após tiro em set de filmagem que matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins

O ator e produtor americano Alec Baldwin, que foi alvo de mandado de busca para apreender celular 

O ator e produtor americano Alec Baldwin, que foi alvo de mandado de busca para apreender celular  Foto: Mark Sagliocco/AFP

A Justiça concedeu à polícia americana nesta quinta-feira, 16, um mandado de busca para apreender o celular de Alec Baldwin, quase dois meses após a investigação sobre o incidente no set de filmagem de Rust que matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins.

Em 21 de outubro, em depoimento policial, o ator disse que a arma disparou enquanto ele se preparava para uma cena em que ele tira o antigo revólver Colt do coldre de ombro e engatilha. 

O pedido de mandado de busca do celular de Baldwin pretende investigar "evidências no telefone, devido ao uso de celulares por indivíduos durante e / ou após a prática do (s) crime (s)". Os policiais querem coletar "todas as informações e dados do telefone celular em relação à produção de Rust e de qualquer membro que trabalhe na produção".

Em uma declaração na noite de quinta-feira, 16, um dos advogados do ator, Aaron Dyer, disse: “Estamos confiantes de que as evidências mostrarão que o Sr. Baldwin não é responsável civil ou criminalmente pelo que ocorreu em 21 de outubro e continua a cooperar com as autoridades. Solicitamos proativamente que as autoridades obtivessem um mandado para que pudéssemos tomar medidas para proteger Baldwin e sua família e informações pessoais que claramente não estão relacionadas à investigação”.

Em uma entrevista na televisão no início deste mês, Baldwin disse que não puxou o gatilho da arma com a qual estava treinando quando ela disparou ao vivo. “Alguém colocou uma bala real em uma arma, uma bala que nem deveria estar na propriedade”, desabafou Baldwin ao ABC News. “Alguém é responsável pelo que aconteceu, e não posso dizer quem é, mas sei que não sou eu”, concluiu.

Um representante de Baldwin não respondeu imediatamente a um pedido de comentário sobre o mandado de busca e apreensão do celular dele.