Instalação artística de Shia LaBeouf é removida por ser considerada 'perigo à segurança pública'

- O Estado de S.Paulo

Câmera pretendia transmitir protestos durante os quatro anos de administração de Trump

  

   Foto: REUTERS/Jonathan Ernst

A instalação artística do ator Shia LaBeouf foi removida da frente do Museum of The Moving Image, em Nova York, nesta sexta-feira, 10. Com a intenção de transmitir protestos contra Donald Trump durante os quatro anos de mandato, o ator instalou uma câmera em frente ao museu, cujas imagens eram transmitidas ao vivo, 24 horas por dia, no site He Will Not Divide Us.

Todo mundo poderia passar na frente da câmera e deixar sua mensagem, mas o ator e os artistas Luke Turner e Nastja Sade Ronkko, também criadores da instalação, incentivavam que as pessoas usassem a frase 'ele não vai nos dividir'.

No entanto, a câmera virou palco de diversas discussões políticas bastante inflamadas. Uma delas resultou na prisão do ator no dia 26 de janeiro, quando ele agrediu um homem que teria dito "Hitler não fez nada de errado."

O museu usou a prisão do ator, algumas ameaças e outras brigas para justificar a retirada da instalação. O New York Times informa que a obra foi considerada um "perigo sério e contínuo à segurança pública." Atualmente, o site do projeto exibe a mensagem "The museum has abandoned us" (O museu nos abandonou).