Holland Roden, de 'Teen Wolf', é liberada após ser barrada em aeroporto de SP

Redação - O Estado de S.Paulo

Atriz veio ao País para um encontro com fãs; quase 24 horas após o ocorrido, foi confirmada a liberação dela

A atriz Holland Roden, em agosto de 2015.

A atriz Holland Roden, em agosto de 2015. Foto: Danny Moloshok/Reuters

A atriz Holland Roden, conhecida por interpretar Lydia Martin no seriado Teen Wolf, da MTV, foi barrada na imigração brasileira ao chegar ao aeroporto de Guarulhos nesta sexta-feira, 17.

Holland veio ao Brasil para um encontro com fãs organizado pela 4U Experience BR na tarde deste sábado, 18. Segundo relatos, ela foi barrada por volta das 14h e permaneceu assim até a manhã deste sábado. Quase 24 horas depois do ocorrido, a empresa confirmou que ela foi liberada e que o evento ocorreria normalmente.

Mais cedo, uma representante da 4U Experience disse que, segundo a Polícia Federal, a atriz tentou passar o visto que permite a entrada no País do passaporte antigo para o atual. A prática seria considerada ilegal no Brasil e, por isso, ela não pôde entrar.

"Nossa equipe ficou aqui a noite toda, tentando resolver isso, porque existe um recurso chamado visto condicional, em que ela poderia ser liberada para fazer o evento. Porém, dependeria dela e do consulado americano dar o start nisso tudo para ela ser liberada aqui, não dependeria mais da nossa equipe", informou a representante no Instagram.

Segundo ela, o time da empresa contatou diversos ministérios e advogados para tentar resolver o problema, mas nada havia sido solucionado até a manhã de sábado. A empresa cogitou cancelar o evento, mas voltou atrás após a atriz ser liberada.

No Instagram, Holland lamentou o ocorrido. "Depois de dois anos viajando para o Brasil com este passaporte e este visto sem problemas, para conhecer os fãs e fazer amigos, fico surpreso com as acusações e o tratamento que hoje enfrento da Polícia brasileira. Estou chocado que este é o mesmo Brasil que eu conheço e amo", disse.

"Por favor, estimule o seu país a ter um tratamento razoável com as pessoas que entram no país com identificação válida. [...] Desta vez não é diferente de qualquer outra vez que eu vim aqui: duas vezes nos últimos dois anos", completou a atriz.

Ela acrescentou que alguns fãs a reconheceram no aeroporto e acredita que eles espalharam a notícia ao vê-la "detida, sem respostas, gritando [com ela], recusada a ter um tradutor, comida ou água durante quatro horas". Ela agradeu à "única funcionária sozinha" de uma empresa aérea que estava fazendo seu trabalho.