Grupo Rouge fala sobre os preparativos para as novas apresentações

Marina Dayrell - Especial para O Estado de S. Paulo

Em entrevista ao E+, elas também falam sobre maternidade e empoderamento feminino

Antonella, de três meses, acompanha Li nos ensaios

Antonella, de três meses, acompanha Li nos ensaios Foto: Foto: Carol Caminha

O Grupo Rouge, girlband de sucesso dos anos 2000, anunciou no último mês o retorno aos palcos para três apresentações, no Rio de Janeiro e em São Paulo, em parceria com a festa Chá da Alice. Será a primeira vez que a banda completa irá se reunir desde o seu fim, em 2005.

Em entrevista ao E+, as cinco cantoras falaram sobre a nova fase e as expectativas para as apresentações que comemoram os 15 anos de formação da banda. Um dos padrinhos da iniciativa é o cantor e ator Tiago Abravanel. "Eu sempre fui fã das meninas, desde a época do Popstars, e depois de um tempo eu virei amigo delas. Aí surgiu uma oportunidade delas se reencontrarem e eu resolvi dar uma ajuda", conta.

Repertório surpresa. O conteúdo das apresentações é uma surpresa para os fãs. "Nós escolhemos um repertório com muito carinho e em equipe. Levando em consideração o que os fãs mais gostam, o que mais combina com a festa e o que nós mais gostamos. Trazendo um pouco de inovação, que nem o Rouge sempre fez. Tem muita surpresa que eu não posso contar, vocês têm que vir ao show!", conta Fantine Thó.

Luciana de volta. Uma das principais novidades é a volta de Luciana Andrade, integrante que deixou o grupo em 2004. O retorno da mineira foi bastante comemorado pelos fãs, já que quando Aline, Fantine, Karin e Li, se reuniram no programa "Fábrica de Estrelas", em 2013, ela não participou.

Luciana conta que, embora antes tivesse um pouco de medo em relação à reação dos fãs, tem sido acolhida com muito carinho. "Pelo termômetro das minhas redes sociais, eu tenho recebido somente agradecimentos e gente falando 'muito obrigada por você ter aceito fazer parte, por ter deixado as mágoas de lado'. Eu acho que só têm coisas positivas, então eu não tenho mais medo não".

Rouge ensaia com o Ballet.

Rouge ensaia com o Ballet. Foto: Foto: Carol Caminha

Coreografias. Para cumprir as expectativas do público, nostálgico desde o fim do grupo, as cantoras cumprem uma agenda de 12 horas de ensaios diários. Nessa maratona, elas precisam voltar no tempo e relembrar letras e coreografias que aprenderam no início dos anos 2000. Fantine conta: "Nós nos esquecemos de muita coisa, mas nos lembramos rapidamente. Estamos impressionadas com a memória muscular. A gente foi pegando passo a passo, o coreógrafo ajudando e foi muito mais rápido do que a gente imaginou lembrar.".

Mas não é só com o passado que elas estão montando as apresentações. Fantine também conta que um dos principais desafios da banda é alinhar a nostalgia com as tendências atuais. "A gente faz questão de fazer tudo que fazíamos antes. Mas tem muita coisa que, hoje, ia ficar muito brega no nosso corpo, então o coreógrafo está trazendo uma leitura mais moderna para a nossa proposta, que combine mais com o público do Chá da Alice, com os nossos fãs - que cresceram e que não são mais crianças - e com nós mesmas, que somos mais mulheres".

Rouge em 2003 e em 2017.

Rouge em 2003 e em 2017. Foto: Foto: www.facebook.com/OficialRouge

Gente grande. Aline, Fantine, Karin, Li e Luciana, ainda eram meninas de 20 e poucos anos de idade na época que venceram o programa Popstars e formaram o Rouge. Agora, as cinco mulheres precisam conciliar a preparação para o show com as suas responsabilidades de gente grande.

Para Aline, Fantine e Li, que têm filhos, o desafio é ainda maior. Li Martins - que nos primeiros anos de Rouge ainda era conhecida pelo seu primeiro nome, Patrícia, é mãe de um bebê de três meses, que a acompanha em grande parte da preparação. "Eu tenho que levar a Antonella aos ensaios e, cada vez que eu paro para amamentar, eu perco o ritmo e até voltar e retomar é bem difícil. Mas está indo tudo super bem, eu estou dando conta e estou muito feliz".

Para Aline Wirley, que mora no Rio de Janeiro, a solução foi deixar o filho Antônio, de 3 anos, com o pai, o ator Igor Rickli. "Os ensaios estão sendo aqui em São Paulo porque a Karin está gravando uma novela e a Li mora aqui. O universo se alinhou para que isso acontecesse e a gente foi se ajustando. O meu marido e a minha mãe estão me dando suporte nesse momento para eu ficar aqui e me dedicar".

Girl Power. Tanta dedicação é para agradar aos fãs, que em menos de três horas esgotaram os ingressos para as apresentações no Rio de Janeiro. Grande parte desse público, que nos anos 2000 era de crianças e adolescentes, hoje, é formado, principalmente, por mulheres.

A banda regressa aos holofotes em um momento no qual o empoderamento feminino está em evidência e traz de volta todo girl power que elas já anunciavam nos anos 2000. "O Rouge, de uma forma muito espontânea e natural, mostra que mulheres podem ser amigas, parceiras, cúmplices umas das outras e não rivais. Elas são poderosas. O Rouge também defende esse espaço e força feminina", diz Karin Hils.

Li concorda: "Eu, como toda mulher, fico feliz ao ver que cada vez mais mulheres estejam se posicionando e defendendo seus direitos."

Novos fãs. As apresentações estão sendo criadas para os fãs antigos, que pediam há anos um retorno do grupo. Mas as meninas não descartam a possibilidade de conquistarem novos admiradores.

Karin, que participa da novela Carinha de Anjo, do SBT, ensina as músicas e coreografias da banda para as crianças no trabalho. "O bacana é que em alguns casos as mães eram fãs do Rouge. Eu fico extremamente feliz de ter feito um trabalho para essas duas gerações e, principalmente, estar com a mesma cara", se diverte.

Turnê. Nas redes sociais das integrantes, fãs de todo o Brasil pedem que elas levem o show para outras cidades. Aline diz que, por enquanto, não existe confirmação de uma turnê nacional, mas não descarta a possibilidade. "Nós sabemos que temos muitos fãs, mas a gente não sabia que ia ser essa loucura. Então, vamos focar nesses três shows para entender o que vai acontecer e ver se vamos celebrar com todos os fãs pelo País. Estamos pensando com muito carinho".

Streaming. Outro pedido dos fãs é que as músicas sejam disponibilizadas em serviços de streaming, como o Spotify e o Deezer. Karin diz que elas têm o interesse, mas que questões burocráticas ainda precisam ser resolvidas.

 

SERVIÇO

Rio de Janeiro

Data: 13 e 14 de  outubro

Local: Vivo Rio

Endereço: Av. Infante Dom Henrique nº85 - Parque do Flamengo - Rio de Janeiro/RJ

Ingressos:

13/10: Disponíveis apenas ingressos para Camarote Open Bar (R$300 a R$600)

14/10: Esgotados

Horário do evento: 23h

Abertura dos portões: 23h

Classificação etária: 18 anos. Menores de 18 anos entram acompanhados dos pais/responsável.

 

São Paulo

Data: 25 de novembro

Local e início das vendas ainda não divulgados.