Gretchen desabafa sobre agressões de ex-namorado: 'Ele encostou o revólver no meu pescoço'

- O Estado de S.Paulo

Ela também falou sobre como foi obrigada a se distanciar de seu filho por medo do homem

Gretchen

Gretchen Foto: Reprodução / Instagram

A cantora Gretchen utilizou seu canal no YouTube para publicar dois vídeos de desabafo sobre seus sofrimentos em relacionamentos no passado, incluindo traições e principalmente uma história triste de agressões. 

Ao falar sobre o pai de Décio, seu segundo filho ela relatou: "Conheci ele como um gentleman, um homem riquíssimo e chiquérrimo. Nunca imaginei que era uma pessoa agressiva. Eu era agredida todos os dias. Agredida de verdade, espancada. Às vezes minha mãe chegava em casa e eu tava com as marcas na cabeça, no corpo, e eu falava que tinha caído, batido a cabeça na porta. Ele dizia que se eu contasse, apanharia mais. Tenho uma testemunha disso, um secretário que também foi agredido um dia quando foi me defender".

"Eu apanhava porque eu sorria. Apanhava porque estava triste. Apanhava porque eu tomava banho com as minhas irmãs. Ele não tinha nenhum problema de bebida, batia porque era psicopata. Depois da crise, vinha chorando, passava mal do coração, dizia que não vivia sem mim", continuou. 

Gretchen afirmou que passava por uma situação complicada, uma vez que tinha acabado de ter um filho prematuro, e a ajuda financeira de seu agressor faria falta, além das constantes ameaças que recebia: "Eu não aguentava mais. Uma vez disse que ia embora. Ele encostou um revólver no meu pescoço e falou: 'Se você sair, eu mato você e o Décio'. Eu respondi: 'Se quiser pode me matar, porque para viver do jeito que eu estou vivendo, é melhor morrer.'. Mas tinha o meu filho e tive que aguentar'.

A cantora contou que um dia, numa das viagens do agressor, conseguiu fugir e avisou a imprensa de que tinha se separado. Mas ainda não era o fim: "Ele chegou com uma arma e disse que eu tinha que passar a guarda do meu filho para ele. Se não passasse, ele ia sumir com o menino. Eu não queria que ele tirasse a vida do meu filho, então eu disse 'Ok, eu assino o papel. Pode levar meu filho. Ele vai ser meu filho pro resto da vida, quer você queira ou não". 

"Ele nunca mais me deixou ver meu filho, que hoje está casado. Eu também nunca contei essa história, porque ele era pequeno, e eu não queria que sofresse. Apesar de tudo, não posso falar que ele não era um bom pai, apesar de agressivo".

Por fim, deu seu incentivo a outras mulheres: "Não tenho vergonha de falar as coisas que eu passei. Porque como eu passei, muita mulher passa. Tenham coragem, tenham força".

Confira o desabafo completo abaixo: