Globo vai produzir duas novelas de horário nobre ao mesmo tempo e uma vai para o streaming

Rafael Nascimento - Especial para o Estadão

'Nossa aposta é que entre uma e outra, o público vai optar por acompanhar as duas tramas', diz o diretor de entretenimento da emissora, Ricardo Waddington

'Travessia', da autora Glória Perez, vai ao ar na faixa das 21 horas após o remake de 'Pantanal', previsto para estrear no fim deste mês na TV Globo. A outra obra, de autoria de João Emanuel Carneiro, ainda sem título, será exibida no GloboPlay.

'Travessia', da autora Glória Perez, vai ao ar na faixa das 21 horas após o remake de 'Pantanal', previsto para estrear no fim deste mês na TV Globo. A outra obra, de autoria de João Emanuel Carneiro, ainda sem título, será exibida no GloboPlay. Foto: Globo/João Cotta

A Rede Globo vai produzir, ao mesmo tempo neste ano, duas novelas de horário nobre de dois autores premiados internacionalmente: João Emanuel Carneiro e Glória Perez. A obra de Carneiro terá direção artística de Carlos Araujo e será produzida como um original Globoplay, com o objetivo de aprofundar a estratégia da plataforma de investir em novelas para o streaming.

A estreia da novela, cujo título ainda será definido, está prevista para o último trimestre de 2022, e terá cerca de 80 capítulos. Ela será lançada como uma obra aberta, ou seja, sem que o desfecho da trama esteja definido antecipadamente. É a primeira vez que este recurso será levado a uma plataforma de streaming no Brasil.

Já a TV Globo trará às telas uma obra da dupla vencedora do Emmy, a autora Gloria Perez e o diretor Mauro Mendonça Filho. A novela inédita vai ao ar após Pantanal, ainda no último trimestre de 2022. Travessia terá em torno de 150 capítulos e abordará questões culturais e atuais da sociedade brasileira, marca registrada das obras da dramaturga.

“Em termos de valores de produção e qualidade artística, é como se estivéssemos entregando ao público duas novelas das nove ao mesmo tempo, uma na TV Globo, outra no Globoplay. Isto só é possível graças à capacidade de produção dos Estúdios Globo, que se adaptaram rapidamente às necessidades de criar, desenvolver e produzir conteúdos multiplataforma”, afirma o diretor de Entretenimento da Globo, Ricardo Waddington. “Nossa aposta é que entre uma e outra, o público vai optar por acompanhar as duas tramas” , conclui o executivo.

Além dessas duas obras, ainda estão em produção nos Estúdios Globo cinco novelas inéditas para a TV Globo, além de 15 projetos para o Globoplay e canais pagos da Globo. “Esse novo modelo de gestão de portfólio é resultado do processo de transformação da empresa, que tem permitido uma visão estratégica dos nossos conteúdos para múltiplas plataformas. Com isso, a Globo reafirma sua posição de maior criadora e produtora de conteúdo audiovisual do Brasil. O grande beneficiado é o público brasileiro, que ganha uma oferta cada vez mais robusta de conteúdos Globo”, afirma o diretor-presidente da emissora, Paulo Marinho.