Garçom pede R$ 30 mil a Fiuk em processo por dano moral; entenda

Redação - O Estado de S.Paulo

Ator teria acusado funcionário de ter furtado um celular, o que não foi provado

Fiuk

Fiuk Foto: Instagram / @fiuk

Um garçom está pedindo R$ 30 mil de indenização em um processo na Justiça após ter sido acusado por Fiuk de ter furtado o celular do ator.

Segundo dados do processo, que corre no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) o episódio ocorreu em 30 de outubro de 2011, quando Fiuk estava hospedado em um hotel Sheraton no Rio de Janeiro, junto a uma mulher, e pediu que o funcionário esquentasse sobras de uma refeição e retirasse algumas louças sujas de seu quarto, o que foi feito.

Horas depois, Fiuk teria acusado o garçom de ter furtado um iPhone de seu quarto, utilizando "palavras de baixo calão extremamente ofensivas".

Na sequência, a polícia militar foi acionada e houve revista do armário e da mochila do funcionário, sem que o aparelho fosse encontrado. Ainda assim, Fiuk não teria pedido desculpas ao funcionário, dando às costas à situação e retornando a seu quarto.

Por conta disso, o garçom apresentou uma queixa crime por calúnia contra o ator. Alegou também que passou a ser "preterido pelo hotel em razão da acusação infundada" de Fiuk.

O advogado do garçom pede uma indenização de ao menos R$ 30 mil de Fiuk, citando "dano moral" e a "situação econômica do ofensor e do ofendido".

O processo corre desde junho de 2014, mas só foi retomado recentemente, em julho de 2018.

O E+ entrou em contato com a assessoria de Fiuk, que afirmou que irá se posicionar "no momento exato".