Gal Gadot é acusada de discriminar deficientes físicos em homenagem a Hawking

Redação - O Estado de S.Paulo

Atriz escreveu em seu Twitter que a morte livraria o cientista de suas restrições físicas

Gal Gadot não deixou de prestar homenagem a Stephen Hawking

Gal Gadot não deixou de prestar homenagem a Stephen Hawking Foto: Mario Anzuoni / Reuters

Dentre todas as homenagens prestadas ao físico Stephen Hawking, morto na madrugada da última quarta-feira, 14, uma se sobressaiu de forma negativa entre os internautas.

“Descanse em paz, doutor Hawking. Agora você está livre de quaisquer restrições físicas. Suas inteligência e sabedoria serão celebradas para sempre”, escreveu a atriz Gal Gadot, a Mulher Maravilha, em seu Twitter.

Muitos usuários da rede social disseram que suas palavras eram discriminatórias contra pessoas com deficiência. Alguns ressaltaram que deficiências não deveriam ser vistas como circunstâncias que inibem a pessoa de viver e das quais se livrarão ao morrer.

Aos 21 anos, em 1963, Hawking foi diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica (ELA), doença neuromotora degenerativa que o levou a usar uma cadeira de rodas para se locomover e um sintetizador de voz para se comunicar.

Na época de seu diagnóstico, Stephen Hawking recebeu uma expectativa de vida de dois anos. A doença, no entanto, não o impediu de viver até os 76 anos e se tornar um dos cientistas mais conhecidos depois de Einstein.

Confira a homenagem de Gal Gadot e os reações dos seguidores:

Tradução: Descanse em paz, doutor Hawking. Agora você está livre de quaisquer restrições físicas. Suas inteligência e sabedoria serão celebradas para sempre

Tradução: Senhora Gadot, ele sempre será lembrado pela sua inteligência e senso de humor apesar de sua condição física. Eu preciso discordar que, no entanto, ele não tinha restrições físicas com uma mente como a dele. Ele fez viagens através do espaço, tempo e dimensões que nós não poderíamos nem imaginar. Que ele descanse em paz.

Tradução: Gal, eu tenho uma doença crônica. Eu não consigo tomar banho sozinha nem sair da cama. Já estou assim há 18 anos. Mas eu cuido de um fundo de caridade para patrocinar pesquisas sobre minha doença e luto por mudanças. Tudo isso da minha cama. Minha vida não é importante? Deficiência não é vergonha, intolerância sim.

Tradução: Pare de fazer a morte parecer como uma alternativa positiva a viver com deficiência. Sua atitude deixa a vida de pessoas com deficiência mais difícil do que qualquer outra coisa

Tradução: Eu te acho fantástica, Gal, mas seu tuíte não é muito honesto. As restrições físicas do Hawking não o impediram de mudar o mundo. Pessoas com deficiência não torcem para que a morte as livre de seus desafios. Nós queremos que as pessoas nos amem pelo que PODEMOS fazer, não que tenham pena de nós pelo que não podemos.

 

VEJA TAMBÉM: Relembre as participações de Stephen Hawking em séries de televisão