Final do Miss Mundo 2021 é adiada por 90 dias devido a casos de covid-19

Redação - O Estado de S.Paulo

23 das 98 candidatas e 15 membros da equipe técnica testaram positivo

A vencedora de 2019, a jamaicana Toni-Ann Singh (foto), continua sendo a detentora da coroa, já que o Miss Mundo não foi realizado no ano passado por conta da pandemia.

A vencedora de 2019, a jamaicana Toni-Ann Singh (foto), continua sendo a detentora da coroa, já que o Miss Mundo não foi realizado no ano passado por conta da pandemia. Foto: Twitter / @missworldltd

Os organizadores do Miss Mundo 2021 adiaram por 90 dias a cerimônia final do concurso, que estava prevista para a noite desta quinta-feira, 16, no Coliseu de Porto Rico, devido aos casos de covid-19 reportados entre competidoras e profissionais do evento. Ao todo, 23 das 98 candidatas e 15 membros da equipe técnica testaram positivo para o novo coronavírus.

Toda a equipe permanecerá em quarentena e serão realizados testes de controle, de acordo com o comunicado da organização, que informa ainda que as 98 candidatas e os profissionais técnicos voltarão aos países de origem uma vez aprovados por autoridades e assessores de saúde.

A decisão foi tomada após consultas à equipe médica que assessora a produção do concurso e ao Departamento de Saúde de Porto Rico.

 

 

A presidente do Miss Mundo, Julia Morley, destacou que todos estão desejosos de que "as candidatas possam desfrutar do evento e que uma delas seja coroada como Miss Mundo em um entorno seguro para todos." 

"Nada deve apagar nem manchar a experiência para estas jovens que se prepararam para competir e representar os seus países. É por isso que tomamos essas medidas", completa.

A representante brasileira na disputa, Caroline Teixeira, não está entre as candidatas que testaram positivo para a covid-19 e deve retornar para o Brasil no sábado, 18. No perfil oficial dela no Instagram, a equipe da Miss Brasil escreveu: "Carol nos encheu de orgulho com a sua participação até aqui e voltará ainda mais forte no momento certo". / Com informações da EFE