Filha de Bruce Lee processa rede de fast food chinesa por uso de imagem

Brenda Goh - Reuters

Real Kungfu disse nesta quinta-feira, 26, que ficou 'intrigada com a ação civil, já que usa o logotipo há 15 anos

Logo da rede de fastfood chinesa Real Kungfu

Logo da rede de fastfood chinesa Real Kungfu Foto: Jason Lee/ Reuters

Uma empresa administrada pela filha de Bruce Lee processou uma rede de fast food chinesa por usar a imagem do falecido astro de kung fu em seu logotipo sem permissão e está pedindo mais de 210 milhões de iuanes (30 milhões de dólares) de indenização, noticiou o veículo de mídia chinês The Paper.

Sediada no Estado norte-americano da Califórnia, a Bruce Lee Enterprises, cuja chefe é Shannon Lee, abriu um processo contra a rede Real Kungfu em um tribunal de Xangai nesta quarta-feira, 25, exigindo que a rede pare de usar a imagem e pague 88 mil iuanes adicionais para cobrir as despesas legais.

Ela também pediu que a rede sediada em Guangzhou emita esclarecimentos durante 90 dias dizendo que não tem nada a ver com Bruce Lee.

A Real Kungfu, que vende tigelas de arroz com pratos chineses, foi fundada em 1990 e tem lojas em mais de 57 cidades da China. Seu logotipo mostra um homem com uma vestimenta amarela de mangas compridas cujas aparência e postura são semelhantes às de Bruce Lee e sua famosa pose "pronto para atacar".

Em sua conta de Weibo, a Real Kungfu disse nesta quinta-feira, 26, que ficou "intrigada" com a ação civil, já que usa o logotipo há 15 anos. Ela ainda disse que, embora tenha havido alguns problemas no passado, o uso do logotipo foi aprovado pelas autoridades nacionais.

O caso coincide com o momento em que a China promete melhorar a proteção da propriedade intelectual e aplicar penalidades mais severas, um dos principais tópicos da guerra comercial de Pequim com os Estados Unidos.