Fernanda Montenegro critica 'retrocesso' da arte no Brasil: 'não vamos acabar'

André Carlos Zorzi - O Estado de S.Paulo

Em coletiva de 'Amor e Sorte', atriz contou que vê 'condenação em torno da cultura': 'é um ciclo que vai passar'

Fernanda Montenegro em gravação de 'Amor e Sorte'

Fernanda Montenegro em gravação de 'Amor e Sorte' Foto: Globo / Divulgação

A atriz Fernanda Montenegro deu sua visão sobre o valor dado à arte e à cultura no Brasil durante coletiva online da série Amor e Sorte, da Globo, realizada nesta quarta-feira, 2.

Questionada se "a pandemia vai ser o ponto de transição para valorização da arte no Brasil", a atriz comentou: "Essa pandemia... Vamos deixá-la de lado? Quero falar da condenação que está havendo em torno da cultura. Isso é uma imbecilidade, uma pretensão, um retrocesso gigantesco e trágico."

"Nós não vamos acabar. A cultura de um país, a cultura que existe no mundo, é o que um homem pode aspirar de transcendência. Tudo bem deixar a imbecilidade se propor, mas nós estamos completamente vivos, atuantes.", continuou.

Em seguida, prosseguiu: "Não é que vamos 'renascer' - nós não deixamos de existir. Estamos existindo, sim. Com um interregno, aí, mas não seremos nós que vamo ficar no fundo da terra. Não seremos, mesmo."

"É só ter paciência e fingir que não estamos levando a vida que sempre levamos. É só dar um tempo. É um ciclo que vai passar. E estamos vivos, sim, produzindo, sim, com maior dificuldade, interferência, maior destrutividade em volta, tudo bem.", analisou Fernanda Montenegro.

"Isso já aconteceu muitas vezes através da história. Não sei porque chegamos a esse ponto. Somos 'imorredores'. Não estou assustada, não. É só um problema de paciência. Fingir que talvez eles vão ter algum poder durante algum tempo. Não têm, não, imagina", contou a atriz, que tem 90 anos de idade.

VEJA TAMBÉM: Artistas que chegaram aos 90 anos em atividade - como Fernanda Montenegro

Cristina Granato / Estadão | Wilton Junior / Estadão | Christina Rufatto / Estadão
Ver Galeria 13

13 imagens

Por fim, Fernanda Montenegro encerrou, sobre a questão: "A nossa transcedência cultural é viva, latente e produtiva. Onde for e como for. Acho que fiz um discurso, mas botei minha alma junto".

Ainda sobre a pandemia, comentou, em outro momento: "Precisamos ter cuidado. Depois da [gripe] espanhola, por incrível que pareça, vieram Hitler e Mussolini. Precisamos ter muito cuidado com o que está vindo aí. A última experiência de uma epidemia, mesmo, deu nisso, chegamos à Guerra de 39. O 'em volta' está muito ruim, em matéria de política, atendimento social, tudo".

Amor e Sorte estreia na próxima terça-feira, 8 de setembro, após Fina Estampa. Serão ao todo quatro episódios, exibidos às terças-feiras. O 1º episódio, Lúcia e Gilda, é protagonizado por Fernanda Montenegro e sua filha, Fernanda Torres. Clique aqui para ler mais sobre a série.