Família de Aretha Franklin critica pastor por discurso em funeral

Allyson Chiu e Antonia Noori Farzan - Washington Post

Jasper Williams Jr. fez críticas a mães que criam os filhos sozinhas e ao movimento Black Lives Matter

O reverendo Jasper Williams Jr. durante seu sermão no funeral de Aretha Franklin.

O reverendo Jasper Williams Jr. durante seu sermão no funeral de Aretha Franklin. Foto: Paul Sancya / AP Photo

Quando as oito horas do funeral de Aretha Franklin chegavam ao fim na última semana, o reverendo Jasper Williams Jr. levantou-se de sua cadeira e pegou o microfone.

Vestido com um terno preto, uma gravata vermelha brilhante, o pastor baseado em Atlanta começou a louvar a Deusa do soul com uma rendição apaixonada do hino popular, "Pai, estendo minhas mãos a ti". Uma grande cruz de prata balançava em seu pescoço.

"Esse é meu assunto enquanto tento louvar Aretha Franklin. Meu assunto é Aretha, a rainha do soul", disse Williams enquanto as últimas notas soavam na sexta-feira, 31.

Mas, nos quase 40 minutos que se seguiram dentro do Greater Grace Temple, em Detroit, Williams destinou mais tempo para vociferar sobre a paternidade negra e os "crimes de negros-para-negros" do que à vida e ao legado de Aretha. Suas palavras rapidamente renderam repercussão nas mídias sociais, com muitos criticando-o por ser "homofóbico", "misógino" e desrespeitar outras pessoas negras.

Entre aqueles que não apreciaram o louvor de Williams estavam membros da família de Aretha Franklin, que consideraram os comentários "ofensivos e de mau gosto", informou a Detroit Free Press.

"Reverendo Jasper Williams gastou mais de 50 minutos em seu discurso e em nenhum momento a louvou propriamente", disse Vaughn Franklin, sobrinho da cantora, em um comunicado em nome de sua família. Ele contou à AP que o louvor "pegou toda sua família de surpresa".

No comunicado, Vaughn disse que Williams pediu para fazer seu discurso porque ele já havia prestado louvor a outros membros da família, incluindo o pai da cantora, o reverendo C. L. Frankling. Mas, ele acrescentou que "existem muitas outras pessoas que minha tia admirava que seriam indivíduos maravilhosos para fazer seu louvor".

"Nós sentimos que o reverendo Jasper WIlliams Jr. usou essa plataforma para impulsionar sua agenda negativa, com a qual, como família, não concordamos", diz o comunicado.

Durante seu discurso, Williams falou sobre suas visões sobre lares de mães solteiras negras e o movimento Black Lives Matter.

Ele descreveu a criação de crianças em uma casa sem um pai como um "aborto após o nascimento."

"Setenta por cento de nosso lares são liderados por nossas preciosas e orgulhosas mulheres negras. Mas, orgulhosas, bonitas e legais como nossas mulheres negras são, há uma coisa que não podem fazer. Uma mulher negra não pode criar um menino negro para ser um homem. Ela não pode fazer isso."

Aretha Franklin foi mãe solteira de quatro filhos.

O político Chaz Beastley tuitou: "Sem nenhum desrespeito a Jasper Williams, mas minha mãe me criou sozinha para ser um homem muito bem..."

Quando Williams discursou sobre o movimento Black Lives Matter, ele usou-o para criticara violência de negros contra negros.

"Quando nós matamos uma centena de nós, ninguém diz nada. Ninguém faz nada".

Ele acrescentou: "O crime de negros contra negros. Estamos fazendo isso o tempo todo. Estamos trancados em nossa mente. Não há uma maneira melhor. Nós temos que parar com isso hoje."

Então, ele disse que se fosse perguntado hoje se "vidas negras importam", responderia: "Não, vidas negras não importam."

"Vidas negras não importam. Vidas negras não deveriam importar", disse ele, enquanto a plateia o aplaudia. "Vidas negras não deveriam importar. Até que as pessoas negras comecem a respeitar vidas negras e parem de matar a si mesmos, as vidas negras nunca poderão importar".

Apesar de alguns terem apoiado o posicionamento de Williams, uma das reações imediatas durante o funeral ocorreu quando o cantor Stevie Wonder gritou: "Vidas negras importam."

No Twitter, internautas descreveram o louvor como um "desastre" e uma "desgraça."

A'Ja Lyve tuitou: "Reverendo Jasper Williams Jr., pastor da igreja batista de Salem em Atlanta, é um intolerante homofóbico, sexista, misógino e mau educado que está desrespeitando Aretha Franklin em seu funeral."

"Ao longo do fim de semana, Williams disse à AP que "compreende" a opinião da família de Aretha, dizendo: "Eu me arrependo. Sinto muito que eles se sintam desta forma."

Porém, em outras entrevistas para esclarecer seus comentários, Williams se manteve firme ao que disse no louvor, reiterando muitos dos mesmos pontos.

Enquanto muitos sentiram que ele desrespeitou mães negras, Williams disse durante uma coletiva de imprensa no domingo que pretendia dar holofotes ao esforço que uma mãe solteira enfrenta enquanto cria seus filhos por conta própria, uma questão que prevalece especialmente em comunidades negras.

"Eu não quis dizer que elas não são capazes de criar seus filhos", disse.

Ele repetiu a sua opinião de que vidas negras "não podem importar, não vão importar e não devem importar até que as pessoas negras comecem a respeitar suas próprias vidas". Mas destacou que ele não quis dizer que vidas negras não importam "em termos do valor de uma vida negra".

Williams disse que sentiu que o que ele disse foi mal interpretado porque não teve tempo suficiente para "alcançar toda a complexidade" que buscava em sua mensagem.

"Eu apenas queria alguém que entendesse meu coração e compreendesse o que estou tentando fazer em vez de fazer chacota ou criar dificuldade ou uma oposição espinhosa ao que estou pretendendo", disse em uma coletiva de imprensa. "É isso que me machuca mais do que qualquer outra coisa."

Ele ainda disse que pensa que seu louvor honrou Aretha Franklin.

"Eu sinto que ao honrá-la eu escolhi várias questões que estão em pauta em nossa comunidade e fazem parte de nossa frente. Eu apenas aproveitei a oportunidade de fazer o melhor que pude sob as circunstâncias e situações em que estava. Não tive intenção de causar dano a ninguém, e busquei a verdade."

Assédio

Outro pastor presente no funeral de Aretha Franklin, Charles Ellis III, também foi alvo de críticas. Durante a cerimônia, ele apalpou a região dos seios da cantora Ariana Grande, em momento que foi gravado (Confira aqui). Posteriormente, ele pediu desculpas.