'Falar em homofobia sequer passa pela minha cabeça', diz Lulu Santos

Redação - O Estado de S.Paulo

'Não é que eu ache que não exista, mas eu me comporto como se não existisse', afirmou o cantor em entrevista ao 'Lady Night'

Lulu Santos e Clebson Teixeira

Lulu Santos e Clebson Teixeira Foto: Instagram / @clebson.teixeira

O cantor Lulu Santos falou sobre sua visão a respeito de representatividade e homofobia em entrevista ao Lady Night, apresentado por Tatá Werneck, na noite da última segunda-feira, 22.

"Uma das coisas que a gente acaba se ressentindo mais é realmente não ter a representatividade. Você vê os beijos dos casais, os romances, os comerciais, os filmes e tudo, e acaba não se vendo representado naquilo, como se você fosse excluído daquela possibilidade de felicidade", afirmou.

Lulu Santos, que em 2018 assumiu um romance com Clebson Teixeira, com quem atualmente tem uma união estável, também falou sobre como enxerga a questão da homofobia no Brasil.

"Francamente, falar em homofobia sequer passa pela minha cabeça. É uma coisa que é resolvida pra mim há tanto tempo. Eu acho tão atrasado, tão retardado brigar [por] isso. Não é que eu ache que não exista, mas eu me comporto como se não existisse", disse.

Durante o episódio, Tatá Werneck ainda recebeu sua mãe no programa e se emocionou ao ouvir Lulu cantando a música Como Uma Onda (leia mais aqui).

Assista abaixo à declaração de Lulu Santos no Lady Night: