Ex-empresário de Alanis Morissette é condenado a seis anos de prisão por desvio de dinheiro

Redação - O Estado de S.Paulo

Entre 2010 e 2014, Johnathan Schwarts desviou mais de US$ 5 milhões da cantora e listava as retiradas apenas como 'despesas diversas'

Alanis Morrissette durante apresentação em 2001.

Alanis Morrissette durante apresentação em 2001. Foto: REUTERS/Peter Morgan

Na última quarta-feira, 3, o ex-empresário de Alanis Morissette foi condenado a seis anos de prisão por desviar milhões de dólares da cantora. Johnathan Schwarts admitiu admitiu ter cometido fraude e apresentado uma declaração de imposto de renda falsa, de acordo com o The Hollywood Reporter.

Ele admitiu ter roubado mais de US$ 5 milhões de Alanis, assim como US$ 1,7 milhão de outros dois clientes, cujos nomes não foram divulgados. De acordo com a Associated Press na época, os incidentes ocorreram entre maio de 2010 e janeiro de 2014. Schwarts listava as retiradas criminais como 'despesas diversas/pessoais'.

Quando questionado pela primeira vez a respeito da má administração, ele inicialmente disse que havia investido num negócio ilícito relacionado a maconha. Schwarts vai cumprir seis anos na prisão e também terá de pagar US$ 8,65 milhões em restituição, segundo a Variety. Ele será notificado judicialmente sobre a prisão no dia 11 de julho.

O empresário se desculpou durante o julgamento. "Eu sou o único responsável por essa ruína. Eu vou passar o resto da minha vida pedindo perdão", disse Schwarts, segundo o The Chicago Tribune.