'Eu me pegava me escondendo debaixo da cama', diz Fábio de Melo sobre ataques de pânico

Redação - O Estado de S.Paulo

Em entrevista ao 'Fantástico', ele disse que chegou a pensar em desistir de ser padre e que sua fé foi abalada

Durante crises de pânico, Fábio de Melo chegou a pensar em desistir de ser padre.

Durante crises de pânico, Fábio de Melo chegou a pensar em desistir de ser padre. Foto: Globo/Mauricio Fidalgo/Divulgação

Em entrevista a Poliana Abrita no Fantástico do último domingo, 20, o padre Fábio de Melo falou com detalhes sobre como tem lidado com a Síndrome do Pânico. O padre revelou que o transtorno chegou a abalar sua fé e que pensou em desistir de ser padre.

O padre foi diagnosticado com a síndrome há dois anos e sua mais recente crise foi há menos de um mês, quando estava desembarcando em Fortaleza (CE). Ele conta que sentiu os mesmos sintomas que havia sentido há dois anos ainda no avião, então se medicou. "Entrei no hotel em um estado de desespero, de mal-estar. Mas o remédio fez efeito e passou. Porém, quando cheguei em casa na segunda-feira, eu desabei. Às vezes eu me pegava me escondendo debaixo da cama, tamanho o pavor que eu sentia", relembrou.

Melo contou que está se sentindo melhor e que está se medicando, vivendo um "processo de recuperação diária". Porém, no auge da crise, ele sentiu sua fé ser abalada e chegou a questionar o sacerdócio.

"Foram dias em que eu decidi tantas coisas rapidamente. Eu pensei: 'Não quero mais ser padre, não tenho mais coragem de enfrentar as pessoas, não tenho mais condições de ser quem eu sou'", contou. Seu principal apoio neste período foi sua mãe. "Eu sou o padre Fábio de Melo, tenho muita responsabilidade sendo o padre Fábio de Melo, mas eu continuo sendo o Fabinho da minha mãe", disse.

Agora, Melo está se medicando e seu próximo passo é fazer acompanhamento psicológico. "A gente acaba virando um escravo do medo. Tenho muita humildade em reconhecer que não estou inteiro. Hoje estou mais confiante, retomei a fé que me move", finalizou.

VEJA TAMBÉM: Artistas que já falaram abertamente sobre saúde mental