'Estou me sentindo curada', afirma Ana Maria Braga sobre câncer

Redação - O Estado de S.Paulo

Apresentadora falou sobre tratamento contra câncer no pulmão em participação no 'Encontro com Fátima Bernardes'

Ana Maria Braga e Fátima Bernardes no 'Encontro'.

Ana Maria Braga e Fátima Bernardes no 'Encontro'. Foto: Reprodução de 'Encontro com Fátima Bernardes' (2020) / Globo

Ana Maria Braga falou sobre o estágio de seu tratamento contra um câncer no pulmão e sobre como está lidando com a 'quarentena' durante participação no Encontro com Fátima Bernardes desta segunda-feira, 20.

A apresentadora comentou que está passando o período de isolamento social pela pandemia do novo coronavírus em sua casa em São Paulo, onde não costumava ficar por tanto tempo há cerca de 12 anos, e ressaltou principalmente a "saudade dos netos".

Além do tratamento com quimioterapia, Ana Maria Braga também lembrou o fato de ter mais de 70 anos: "É assustador para todo mundo. Não é uma 'gripezinha', é uma coisa muito séria. Essa recomendação de ficar em casa é fundamental".

Sobre o tratamento contra o câncer, destacou: "Tive um privilégio: não tive queda de cabelo. Já fiz a quarta quimio[terapia] e a quarta imuno[terapia]. Está fazendo 21 dias nessa semana. Tenho um retorno nesta semana para saber que já foi tudo embora! [risos]"

VEJA TAMBÉM: 15 receitas em que Ana Maria Braga ignorou o conceito de saudável na cozinha do Mais Você

Reprodução de 'Mais Você' / Globo
Ver Galeria 16

16 imagens

"Tem o mal-estar normal de qualquer tratamento sério, muita 'química' no organismo. [...] Todos aqueles sintomas que as pessoas têm: enjoo, mal estar, um pouco de cansaço... mas estou numa fase ótima desse final de tratamento, dessa primeira fase", continuou.

Por fim, concluiu: "Não sei o que será no futuro. Estou me sentindo muito bem, estou me sentindo curada, é o mais importante de tudo isso".

Clique aqui para conhecer os principais sintomas e tratamentos do câncer no pulmão, doença que atinge Ana Maria Braga.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia