‘Estava correndo risco de vida’, diz Romana Novais sobre parto prematuro

João Pedro Malar* - O Estado de S.Paulo

Esposa do DJ Alok precisou dar à luz à filha, Raika, antes da hora devido a uma complicação após contrair covid-19

O DJ Alok compartilhou fotos após o nascimento de Raika, sua filha com Romana Novais

O DJ Alok compartilhou fotos após o nascimento de Raika, sua filha com Romana Novais Foto: Instagram / @alok

A médica Romana Novais, que é esposa do DJ Alok, falou no domingo, 6, sobre o parto prematuro pelo qual passou na quarta-feira, 2, após testar positivo para o novo coronavírus. Tanto ela quanto a filha, Raika, estão bem, mas a recém-nascida segue internada em um hospital.

“Foram dias bem difíceis para mim, minha família”, comentou ela em stories publicados no Instagram, depois de agradecer os seguidores pelo apoio. Romana disse que o parto foi um “susto”, e que decidiu falar sobre a experiência para alertar gestantes, em especial as que estão no terceiro trimestre de gestação, como ela. 

Romana explicou que estava sentindo dores no corpo, que se intensificaram e começaram a incomodá-la, quando decidiu verificar se estava com o novo coronavírus: “Eu fiz o teste de covid-19, o Alok também fez. O dele saiu primeiro, deu positivo e eu tive a certeza que estávamos com covid-19. Ficamos em casa, nos isolando”. 

“Parecia que todos os meus ossos estavam sendo quebrados de tanta dor que eu sentia”, relatou ela. Ela acha que a covid-19 não geraria muitos sintomas em gestantes, mas ressaltou que se enganou. 

Na quarta-feira, 2, Romana começou a sentir contrações e foi para uma clínica médica realizar exames. Durante os procedimentos ela começou a “sangrar muito, muito, foi realmente muito assustador para mim”, e por isso foi levada para um hospital. 

“Tudo o que eu pensava era que eu precisava salvar a minha filha de qualquer forma, porque eu não sabia o que estava acontecendo. Quando chegou no hospital eu estava com muito medo. Aconteceu tudo muito rápido, a Raika nasceu muito rápido, eu não estava esperando que fosse ser tudo tão rápido assim”.

Romana comentou que chegou a apresentar um caso “perigoso” na obstetrícia, de sangramento na placenta e formação de trombos, e esse quadro se espalhou para o seu corpo, a deixando com “risco de vida”. Depois do nascimento de Raika, as duas ficaram separadas, para evitar contágio de covid-19.

“Para as gestantes que assim como eu achavam que covid-19 não pode nos trazer muitos sintomas, complicações, eu deixo aqui meu testemunho pra vocês que eu entrei na estatísticas das mulheres que tiveram complicações por causa de covid-19”, alertou ela. 

Romana voltou para casa no sábado, 5, e agora espera a saída da filha da UTI e o período de isolamento passar para que ela e o marido possam rever o filho, Ravi, que está com os avós. “A doença é muito violenta, e mesmo sendo jovem, saudável, sem riscos, eu me encontrei em uma situação que eu não desejo para ninguém. É muito assustador passar por isso, eu estou muito assustada até agora”, destacou ela.

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais