Elton John afirma que ficou com medo de errar música no funeral de Diana

Agência - Reuters

Cantor pediu que instalassem um equipamento junto ao piano no qual ele podia ler a letra de 'Candle in the Wind'

Elton John cantando 'Candle in the Wind' em homenagem à princesa Diana no funeral dela, em setembro de 1997.

Elton John cantando 'Candle in the Wind' em homenagem à princesa Diana no funeral dela, em setembro de 1997. Foto: Paul Hackett/Reuters

Elton John disse que estava tão receoso de errar a letra adaptada de Candle In the Wind no funeral da princesa Diana que pediu que instalassem um teleprompter junto ao piano. O equipamento — geralmente utilizado em telejornais, acoplado a câmeras de vídeo — exibe o texto que uma pessoa precisa ler.

O cantor, que era amigo de Diana, interpretou a nova versão do sucesso usando palavras revisadas de autoria de Bernie Taupin, letrista e colaborador frequente.

A canção, que conta com a frase "Adeus, rosa da Inglaterra" em vez da original "Adeus, Norma Jean", se tornou o single que vendeu mais rápido no Reino Unido.

"Foi a primeira vez em que usei um teleprompter, um teleprompter do lado da minha mão esquerda, porque pensei que se cantasse 'Adeus, Norma Jean' seria enforcado, arrastado e esquartejado", disse Elton John a uma plateia londrina na noite de terça-feira, 19. "Então, só por precaução, pedi o teleprompter ali."

O artista de 72 anos falou na Academia Real de Música, onde estudou, durante um evento que marcou a publicação de sua autobiografia Me: Elton John.

"Ele [Bernie] sempre me dá uma letra", explicou. "Vou a uma sala, coloco a letra no piano, olho o título. E quando começo a ler a canção, um filminho começa na minha cabeça, um pouco como compor uma trilha sonora quando você recebe a parte visual", disse.

A apresentação de Elton John no funeral de Diana, realizado na Abadia de Westminster de Londres, foi um momento de destaque no serviço televisionado, assistido por centenas de milhões de pessoas em todo o mundo.

Diana morreu em um acidente de carro, em Paris, no dia 31 de agosto de 1997, enquanto o motorista do veículo fugia dos paparazzi que seguia a princesa. Relembre a história no Acervo Estadão.