Eleições nos EUA: relembre artistas que já foram candidatos

André Carlos Zorzi - O Estado de S.Paulo

Nomes como Kanye West, Arnold Schwarzenegger e Cynthia Nixon já concorreram a cargos políticos nos Estados Unidos; veja outros

Kanye West, Arnold Schwarzenegger e Cynthia Nixon 

Kanye West, Arnold Schwarzenegger e Cynthia Nixon  Foto: Randall Hill / Max Whittaker / Caitlin Ochs | Reuters

O rapper Kanye West usou suas redes sociais no último mês de julho para anunciar que pretendia se candidatar ao cargo de presidente nas eleições dos Estados Unidos em 2020 (clique aqui para acompanhar a apuração da disputa entre Donald Trump e Joe Biden).

O marido de Kim Kardashian não é o primeiro nome conhecido do público a concorrer a um cargo importante na política dos EUA. Relembre a seguir outros artistas que lançaram candidaturas - com sucesso ou não - a cargos como governador, prefeito e presidente nas urnas norte-americanas ao longo das décadas.

Arnold Schwarzenegger

O ator Arnold Schwarzenegger, astro dos filmes O Exterminador do Futuro conhecido também por sua carreira no fisiculturismo, decidiu tentar se eleger governador do Estado da Califórnia em 2003.

À época filiado ao Partido Republicano, ele concorreu em um 'recall' - dispositivo que permite aos eleitores 'revogar' o mandato do governador - do então ocupante do cargo, Gray Davis.

Schwarzenegger viu sua popularidade abalada quando foi alvo de diversas acusações de assédio sexual, mas recebeu cerca de 4,2 milhões (48,6%) de votos, vencendo as eleições.

Arnold Schwarzenegger ao lado de Boris Johnson em foto de março de 2011. À época, foi o encontro entre o governador da Califórnia e o prefeito de Londres. 

Arnold Schwarzenegger ao lado de Boris Johnson em foto de março de 2011. À época, foi o encontro entre o governador da Califórnia e o prefeito de Londres.  Foto: Stefan Wermuth / Reuters

 "Tudo que eu tenho é por causa da Califórnia. Eu vim aqui com absolutamente nada, e a Califórnia me deu absolutamente tudo. E hoje, a Califórnia me deu o maior presente de todos, vocês me deram sua confiança votando em mim", disse, após a vitória nas eleições.

Arnold deixou o governo em 2011. No cargo, o ator implantou, em silêncio, medidas contra os gases tóxicos e armas e apostou na legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

A aprovação de seu governo chegou a 23%, nível baixo se comparado os 63% de quando assumiu a Califórnia, em 2003. 

Gary Coleman

Conhecido por ter sido o astro mirim do seriado Arnold (Diff'rent Strokes) na década de 1970, Gary Coleman também inscreveu seu nome durante as votações para o recall de Gray Davis, em 2003.

VEJA TAMBÉM: Arnold estreava há 40 anos; veja que fim teve o elenco da série

'Diff'rent Strokes' (1978) / NBC
Ver Galeria 13

13 imagens

À CNN, o ator comentou que sua candidatura era um protesto: "Eu pensei que [o recall] era uma piada. Eles pensaram que era uma piada. Então eu pensei: 'ei, por que não?' Eu provavelmente sou o menos qualificado para o cargo, mas terei pessoas boas ao meu redor."

Ao todo, Gary Coleman recebeu 14.242 (0,16%) votos. O ator morreu em 2010, aos 42 anos de idade

Cynthia Nixon

Conhecida por ter feito parte do elenco de 'Sex and the City', a atriz decidiu tentar a vida política e lançou oficialmente uma candidatura para tentar disputar o governo de Nova York. Leia mais aqui. 

Conhecida por ter feito parte do elenco de 'Sex and the City', a atriz decidiu tentar a vida política e lançou oficialmente uma candidatura para tentar disputar o governo de Nova York. Leia mais aqui.  Foto: Sam Hodgson / The New York Times

Conhecida por seu papel na série Sex and The City, a atriz Cynthia Nixon, militante pelo ensino público e direitos LGBT, percorreu o Estado de Nova York durante as prévias do Partido Democrata em 2018.

Ativista liberal, defendeu, entre outros temas, a legalização da maconha recreativa, reforma do metrô, gratuidade na educação, tributação mais pesada para os mais ricos e seguro de saúde financiado pelo Estado.

Cynthia, porém, não conseguiu superar Andrew Cuomo, que foi eleito governador tempos depois.

VEJA TAMBÉM: Personalidades que desistiram de concorrer a cargos políticos

Werther Santana / Estadão | Ramin Rahimian / Reuters
Ver Galeria 11

11 imagens

Kanye West

"Precisamos cumprir a promessa dos Estados Unidos confiando em Deus, unificando nossa visão e construindo nosso futuro. Estou concorrendo à Presidência dos Estados Unidos!", escreveu o rapper no Dia da Independência de seu país, 4 de julho.

Em 2018, Kanye chegou a se encontrar com Donald Trump no Salão Oval. No ano seguinte, em entrevista a um programa de rádio, demonstrou sua intenção em concorrer ao cargo em breve.

Em 12 de outubro de 2020, West divulgou o vídeo oficial de sua campanha à presidência. No entanto, ele perdeu o prazo para concorrer ao cargo e aparecer nas cédulas eleitorais do estado de Wisconsin por conta de um atraso de 14 segundos na entrega de documentos.

Em alguns estados, porém, seu nome chega a constar - mesmo assim, sequer teria chances matemáticas de vencer.

Em 3 de novembro, Kanye West publicou uma foto no Twitter votando em si mesmo na cidade de Cody, no Wyoming. "Votando pela primeira vez na minha vida para presidente dos Estados Unidos, em alguém que realmente confio", escreveu.

Sua esposa, Kim Kardashian, não pareceu apoiar a candidatura do marido. Ela não deu endosso público a Kanye West e, dias antes das eleições, retuitou uma mensagem sobre as linhas diretas para eleitores da candidata à vice-presidência democrata Kamala Harris.

Jello Biafra

O músico do Dead Kennedys teve seu nome inscrito nas prévias do Partido Verde à disputa das eleições para presidente dos Estados Unidos em 2000. 

Na ocasião, Jello Biafra ficou na 2ª colocação, empatado com Stephen Gaskin, com 10 votos cada. O vencedor foi Ralph Nader, com 295 entre os 319 possíveis.

Ronald Reagan

Reagan e Gorbachev um ano após o encontro frustrado de Reykjavik (1986)

Reagan e Gorbachev um ano após o encontro frustrado de Reykjavik (1986) Foto: Reuters

Ronald Reagan ficou conhecido por trabalhar como ator em diversos filmes e produções de TV entre as décadas de 1930 e 1960. Em 1967, entrou para a política tornando-se governador do Estado da Califórnia, onde foi reeleito e ficou até 1975.

No ano seguinte, teve interesse em disputar as eleições presidenciais dos Estados Unidos, mas não superou Gerald Ford nas primárias do Partido Republicano, o que conseguiria fazer quatro anos depois. Em 1980, foi eleito presidente dos EUA, superando Jimmy Carter.

Quatro anos depois, foi praticamente unanimidade como indicado dos republicanos e se reelegeu ao cargo de mandatário do país com 58,8% dos votos diante do democrata Walter Mondale.

As Eleições presidenciais nos Estados Unidos em 2020

A disputa entre o atual líder norte-americano, Donald Trump, do Partido Republicano, e Joe Biden, do Partido Democrata, ganhou as atenções do mundo ao iniciar a contagem dos votos das eleições desde ano desde a última terça-feira, 3 de novembro de 2020.

Joe Biden (à esquerda) e Donald Trump discordam em vários tópicos importantes com relação à condução dos Estados Unidos a partir do próximo ano. Veja as principais propostas de cada um.

Joe Biden (à esquerda) e Donald Trump discordam em vários tópicos importantes com relação à condução dos Estados Unidos a partir do próximo ano. Veja as principais propostas de cada um. Foto: EFE/EPA/OLIVIER DOULIERY / POOL / Erin Schaff/NYT

Trump, inclusive, já foi uma personalidade conhecida na televisão antes de chegar à Casa Branca, quando apresentou o reality show O Aprendiz em sua versão norte-americana. No Brasil, o programa foi apresentado por Roberto Justus e João Doria.

Clique aqui para entender como funcionam as eleições nos Estados Unidos.

Confira como foram as eleições para o cargo de presidente nos EUA ao longo das últimas décadas.