Dwyane Wade fala sobre decisão da filha de se identificar como mulher

João Pedro Malar* - O Estado de S.Paulo

Zaya, de 12 anos, era originalmente chamado de Zion e considerada pela família como um menino, mas a criança pediu para os pais a tratarem como menina

O jogador de basquete Dwyane Wade

O jogador de basquete Dwyane Wade Foto: Reprodução / Youtube

Dwyane Wade, uma das lendas mundiais do basquete, revelou em entrevista com a apresentadora Ellen Degeneres nesta terça-feira, 11, que seu filho de 12 anos se identificou com o gênero feminino e pediu para o jogador e a mulher, a atriz Gabrielle Union, que seja considerado uma menina.

“Zion, que nasceu homem, veio em casa e nos disse: “Oi, bom, quero falar com vocês. Creio que daqui em diante estou pronto para viver minha verdade, e quero que se dirijam a mim como ‘ela’ e adoraria que me chamassem de Zaya’’, revelou o atleta.

Wade, que se tornou uma das figuras mais queridas da NBA (Associação Nacional de Basquete) durante os 15 anos que jogou no time Miami Heat, havia contado antes que Zaya fazia parte da comunidade LGBTQI+, mas sem dar mais detalhes. Wade explicou que ele e a mulher tomaram “de forma muito séria” os seus papéis e responsabilidades como pais. 

“Assim, quando nossa filha chega em casa com uma pergunta, com um problema, é nosso dever como pais escutar e dar a ela a melhor informação possível. A melhor resposta que podemos”, disse Wade. “Isso não muda agora quando estamos falando sobre sexualidade e identidade sexual”, concluiu.

Wade e Union têm sido grandes defensores de Zaya desde que alguns dos seguidores dos dois fizeram comentários desagradáveis em fotos publicadas nas redes sociais, em que a menina aparecia com maquiagem e unhas grandes. 

O atleta reiterou na entrevista que está “muito orgulhoso de Zaya como uma líder” em sua comunidade e entre os irmãos, Kaavia James, de 15 meses, Xavier Zechariah, de seis anos e Blessing Dwayne, de 18.

Vale lembrar que Ellen DeGeneres, que conduziu a entrevista, fez história ao se declarar publicamente como lésbica na série de televisão que estrelava em abril de 1997. “Eu acho que todos os pais deveriam ser igual você em relação a sua filha, amando ela de forma incondicional e apoiando ela, independente de quem seja”, disse a apresentadora. 

VEJA TAMBÉM: O que é identidade de gênero?

Com informações da Agência EFE

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais