Dira Paes comemora novo personagem na TV: 'O Brasil é feito por mães guerreiras'

João Ker e Ludimilla Fonseca - Especial para o Estado

Escalada para a próxima novela das 7, 'Verão 90', ela interpretará Janaína, viúva que se desdobra para sustentar os dois filhos vividos por Rafael Vitti e Jesuíta Barbosa

Dira Paes

Dira Paes Foto: Estevam Avellar / Globo / Divulgação

Afastada das novelas desde 2016, quando participou de Velho Chico, Dira Paes já está se preparando para o seu retorno à TV com Verão 90, próxima trama das 7, prevista para estrear em janeiro de 2019, na Globo. No folhetim dirigido por Jorge Fernando, ela viverá Janaína Guerrero, uma mãe solteira que auxilia os filhos, João e Jerônimo (interpretados por Rafael Vitti e Jesuíta Barbosa, na segunda fase), a se lançarem na carreira musical: "A trama é impressionantemente boa. Lendo os capítulos, você não sente vontade de parar", comemorou, em entrevista ao E+.

"Só o nome já dá uma pista sobre quem é essa mulher", adianta a atriz. "Ela é uma viúva criando dois filhos, que têm um embate entre si. E ela precisa administrar isso, tendo que tocar a vida para frente e sustentar a casa, ao mesmo tempo em que faz essa busca pelos filhos e por si mesma. A inquietude dos dois provoca uma coisa muito linda nela, que é o resgate como mulher", explica Dira, acrescentando que acredita na força do papel em reverberar com o público de casa: "Muitas mulheres vão se identificar com a personagem. A gente sabe que o Brasil é feito por mães guerreiras".

Na primeira fase da trama criada por Izabel de Oliveira e Paula Amaral, os irmãos João e Jerônimo, então interpretados pelos atores João Bravo e Diogo Caruso, irão despontar como estrelas mirins de um grupo musical dos anos 1980, aos moldes do que foi o Clube do Mickey. Já na segunda fase, eles reaparecerão com vidas completamente opostas, quando se reencontram com Manu (Isabelle Drummond), ex-companheira de palco que só faz aumentar a rivalidade entre os dois.

"A gente vai homenagear os anos 1990, então acho que a novela vai criar muita nostalgia em quem viveu isso", comenta Dira sobre o apelo da trama, que também deverá mostrar a criação de uma emissora dedicada à música, como uma espécie de MTV da ficção. "Para as crianças que têm pais nascidos naquela época, vai ser um barato. Estamos nos esmerando muito nos ensaios e nas composições. O Jesuíta e o Rafael estão fazendo um papel bem maduro, com personagens muito complexos", adianta.

Ao longo da entrevista, a atriz também comentou sobre a dinâmica entre ela e Jorge Fernando, que sofreu um AVC em janeiro do ano passado: "Ele tá forte! É uma cinturinha assim, de gato malhado", brinca, acrescentando que o diretor trabalha "de forma quase cirúrgica": "Eu ganhei um presente com esse projeto. Estou muito feliz que o Jorginho, esse diretor de 36 novelas, chegou e disse: 'Eu quero você!'. Isso já dá para o ator uma segurança de querer e fazer um trabalho incrível".