Dia da Consciência Negra: o que os artistas têm a dizer

André Carlos Zorzi - O Estado de S.Paulo

O E+ entrou em contato com diversas personalidades para saber o que pensam a respeito da data

O dia da Consciência Negra é um dia que marca uma luta, um momento de reflexão, que acho que tem que ser feita o ano inteiro. Ensinado às crianças essa questão que não existe diferença entre as pessoas em relação à cor da pele.É uma herança negativa que a gente traz da colonização da maneira como as coisas foram acontecendo, da formação social do Brasil. O país perde muito com isso, por causa dessa questão da discriminação. Não se potencializa, não se usa e não se credibiliza as potencialidades da cultura do nosso povo, essa mistura toda.Nós sabemos muito pouco em relação a tudo que se faz na África. São 54 países, milhares de culturas. Aqui as pessoas já chegaram todas misturadas, vieram na condição de escravos, mas são seres humanos.Um dos grandes defeitos da sociedade brasileira é a discriminação racial, essa coisa velada. É uma grande falha da sociedade brasileira não encarar essa situação para transformar, trazer uma maneira coerente de se conviver, respeitando a origem, a religião e todas as coisas que compõem a cultura afro-brasileira.A música e a arte são ferramentas de comunicação que a gente pode usar para combater todo tipo de discriminação. A música pulsa no coração, e quando uma pessoa gosta de uma música, ela não vai olhar a cor de quem está cantando.

O dia da Consciência Negra é um dia que marca uma luta, um momento de reflexão, que acho que tem que ser feita o ano inteiro. Ensinado às crianças essa questão que não existe diferença entre as pessoas em relação à cor da pele.É uma herança negativa que a gente traz da colonização da maneira como as coisas foram acontecendo, da formação social do Brasil. O país perde muito com isso, por causa dessa questão da discriminação. Não se potencializa, não se usa e não se credibiliza as potencialidades da cultura do nosso povo, essa mistura toda.Nós sabemos muito pouco em relação a tudo que se faz na África. São 54 países, milhares de culturas. Aqui as pessoas já chegaram todas misturadas, vieram na condição de escravos, mas são seres humanos.Um dos grandes defeitos da sociedade brasileira é a discriminação racial, essa coisa velada. É uma grande falha da sociedade brasileira não encarar essa situação para transformar, trazer uma maneira coerente de se conviver, respeitando a origem, a religião e todas as coisas que compõem a cultura afro-brasileira.A música e a arte são ferramentas de comunicação que a gente pode usar para combater todo tipo de discriminação. A música pulsa no coração, e quando uma pessoa gosta de uma música, ela não vai olhar a cor de quem está cantando. Foto: Reprodução / Instagram

O dia 20 de novembro é feriado em boa parte do país em virtude do Dia da Consciência Negra. A data marca o aniversário de morte de Zumbi do Palmares, líder na luta contra a escravidão durante o Brasil colonial, morto em 1695.

O E+ entou em contato com diversas personalidades e pediu para que elas falassem um pouco mais sobre o que o Dia da Consciência Negra representa para elas. Confira o resultado na galeria abaixo.

Reprodução / Instagram
Ver Galeria 9

9 imagens