Deborah Secco revela que já namorou um homossexual

Redação - O Estado de S.Paulo

Em entrevista à 'Veja', atriz pediu liberdade para que mulheres possam trair os homens

A atriz Deborah Secco

A atriz Deborah Secco Foto: Instagram / @dedesecco

A atriz Deborah Secco fez novas revelações acerca de sua vida pessoal em entrevista à revista Veja. Entre elas, revelou que já namorou gay, foi trancada no quarto por um namorado que ameaçava lhe abandonar se engordasse, e se disse decepcionada pelo fato de que as mulheres "não lutem pela liberdade mínima de aceitar que a gente pode, sim, trair o homem".

Deborah afirmou que já teve relacionamentos sérios com um homem bissexual e um gay. "Que eu saiba", ressalta. Ao fim do mês de agosto, a atriz publicou uma capa da revista Vogue em que depois homens aparecem se beijando - e, posteriormente, rebateu comentários homofóbicos com um desabafo em seu Instagram

"Fico preocupada com o ódio que os homossexuais despertam. Aceito que os evangélicos, por exemplo, achem errado. Mas não tolero quando agridem e insultam homossexuais", relatou à Veja.

Recentemente, Deborah confessou já ter traído todos os seus ex-namorados - e garante que foi traída por "quase todos". Questionada sobre o fato, revelou que fez tudo por "necessidade de liberdade", e que a sensação que ficava depois "sempre foi ruim". 

Veja também: Quem são e por onde andam os ex-namorados de Deborah Secco

"Vivi relações abusivas em grau muito forte. Convivi com um que me trancava no quarto para eu não comer. Dizia que eu estava gorda e que, se continuasse assim, ele não iria me querer mais", contou.

Ela também falou a respeito de outros momentos complicados, e garantiu que nunca chegou a ser agredida fisicamente: "Nunca, mas tive medo de apanhar. Sofri muitas agressões verbais. Um deles dizia que eu só era bem-vista e tinha amigos por ser namorada dele [...] Eu era cega, viciada nesse tipo de relacionamento".

 

Traição

A respeito da repercussão de sua entrevista, disse: "O que mais me chocou foi ver que as maiores críticas vieram de mulheres. É muito triste que as mulheres não se defendam, não lutem pela liberdade mínima de aceitar que a gente pode, sim, trair o homem". "É terrível ver mulheres que só são fiéis porque acham que é o certo. Isso é muito retrógrado. Quem quiser trair, que traia."

Família

A atriz falou a respeito do início da carreira e da forma como seus familiares lidavam com isso: "No começo, me deslumbrei com o acesso a coisas caras e a mordomias que não conhecia. Poxa, eu tenho origem humilde. Minha família inteira ia para a Ilha de Caras e guardava os brindes como se fossem presentes de natal. Eu ia para lá não para aparecer na revista, mas para andar de helicóptero e de jet ski com meus irmãos".

"Lembro que me diziam para não frequentar tantos camarotes, mas eu era adolescente, queria aproveitar", concluiu.

Deborah evitou falar sobre a prisão de seu pai por desvio de verbas, em que a própria atriz apareceu como laranja: "Prefiro não falar desse assunto, porque ainda dói muito e o processo continua correndo. [...] É um excelente avô. Acho que está tentando compensar o passado".