'Confirmação da qualidade do trabalho', diz Urias sobre sucesso de suas músicas

Beatriz França - Especial para o Estadão

Com mais de 15 milhões de streams no primeiro álbum, a cantora contou como começou na música e sobre novos projetos

Urias fala sobre como começou na música, o alcance de suas músicas e novos projetos para 2022.

Urias fala sobre como começou na música, o alcance de suas músicas e novos projetos para 2022. Foto: João Arraes

Aos 26 anos, Urias coleciona mais de 200 mil inscritos no YouTube e mais de 600 mil seguidores no Instagram. Conhecida pelo hit Diaba, que tem mais de 15 milhões de visualizações em seu canal oficial do YouTube, a cantora mineira já coleciona grandes números em seus trabalhos.

Fúria, seu primeiro álbum, foi lançado em janeiro de 2022 e já atingiu mais de 15 milhões de streams no Spotify. Em entrevista ao Estadão, Urias lembrou como começou na música, falou sobre carreira, novos projetos e muito mais.

Apostando nos covers, foi assim que ela começou a cantar. No total, a mineira gravou três músicas e fez clipe para cada uma delas, o que ela não esperava era que um desses vídeos fosse estourar.

Urias fez a sua versão da música Meu Mundo é o Barro, do Rappa, e foi com o clipe desse hit que o convite para trabalhar com a sua equipe atual veio. Ao falar sobre o começo de sua carreira na música e como ela enxergava esse início, a mineira conta que encarou como “uma oportunidade de tentativa”.

“Na época eu pensei: ‘Dá pra tentar, se não der certo, eu apago e finjo que nada aconteceu, e vou fazer outra coisa’”, fala aos risos.

Urias explica que por mais que tivesse encarando apenas como tentativa, seu sonho sempre foi ser cantora, mas que durante um longo período da adolescência ela desacreditou e deixou o sonho de lado, dedicando-se a outras coisas. 

“Veio a oportunidade de lançar os covers, lancei e ainda bem que deu tudo certo porque consegui lançar minhas músicas, meu álbum. E sempre cantei, mas nunca fui muito de cantar na frente dos outros. Cantava sozinha e pra certos amigos, mas só pra quem eu não sentia muita vergonha”, conta bem humorada.

 

Em entrevista ao Estadão, Urias conta como foi o apoio de sua família quando suas músicas começaram a estourar.

Em entrevista ao Estadão, Urias conta como foi o apoio de sua família quando suas músicas começaram a estourar. Foto: João Arraes

 

Urias revela que assim que veio o sucesso de suas músicas e dos covers que fazia, sua mãe ficou muito feliz e orgulhosa: “Minha mãe viu tudo que eu fiz pra isso acontecer. Então ela me parabeniza muito. Cada coisa que eu faço ela me parabeniza com muito gosto”.  

Já os outros parentes, como tios e primos, ainda ficam surpresos com as conquistas da cantora. “Sabe quando os parentes olham e falam: ‘Isso daí não vai dar futuro não’? Então… Agora eles olham e falam: ‘Nossa, ela ficou fazendo isso a vida inteira e agora tá dando certo’”, fala emocionada.

Antes de engatar na vida de cantora, Urias diz que por ter crescido em Uberlândia, uma cidade universitária, sempre ouviu que precisava fazer uma faculdade e precisava saber o que cursaria na graduação desde cedo. 

“As pessoas te perguntam desde os 12 anos o que você quer fazer. Eu sempre fui tentando me encaixar em algum curso universitário e, academicamente, eu só me identifico com a parte linguística. Então, na Federal, eu fiz curso de tradução, relações internacionais — que não deu nem um período porque eu vi que não era pra mim”, fala aos risos.

Ela ainda conta que, quando estava no terceiro ano do ensino médio, passou em uma faculdade particular para cursar moda, mas não pôde ir porque precisava terminar a escola antes. 

“Sempre fui buscando meus interesses para não odiar o que eu fosse fazer, mas não é a mesma coisa. Mesmo se eu trabalhasse com outra coisa, eu estaria cantando em algum canto”, diz.

Por cantar desde cedo e amar soltar a voz por onde passa, a mineira fala que o significado de música está em constante mudança dentro de si. Mesmo concordando que é uma forma de expressão e de se aproximar das pessoas, a música, para ela, tem um “significado a mais”.

“A música tem significado muito mais do que isso. Tem significado muita mudança, mudança política. Traz novas discussões sobre formatos de vivência. Pra mim, a música tem aberto discussões e até mudado o País. Eu acho a música muito forte e fundamental”, fala com olhar reflexivo.

 

 

O sucesso de ‘Diaba’

 

 

No YouTube, Diaba já tem mais de 15 milhões de visualizações e está em diversas playlists do Spotify. Sobre o sucesso do single, Urias revela que não esperava alcançar tanta gente e a criação foi um momento de “reverter toda a situação” de como a comunidade LGBTQIA+ é vista.

“Muito prazer, eu sou o oitavo pecado capital. Tente entender, eu sempre fui vista por muitos como o mal. Não consegue ver… Que da sua família eu sou pilar principal? Possuo você, possuir você.” Esse é o primeiro trecho da música de sucesso de Urias e ela fala que não foi feita como um desabafo, mas que foi seu jeito de se apresentar como artista.

“Pensei em como eles pintam a gente em ‘coisas do demônio’, como se fôssemos do inferno e ainda usam esse tipo de argumento pra justificar nossa existência. Acho que Diaba não é nem um desabafo, mas uma forma de falar que isso [preconceito] não vai me derrubar. Já que estão me jogando no inferno, vou sentar no trono”, diz.

 

 

O sucesso de seus trabalhos

 

 

Colecionando números com suas músicas e com o primeiro álbum de trabalho, Urias revela que nunca imaginou alcançar todos esses números. Fúria já passou de 15 milhões de streams no Spotify, foi um dos mais vendidos do iTunes Brasil, Diaba só está crescendo no YouTube e por aí vai a lista de conquistas.

“Pensei no álbum pra ter mais repertório para os shows porque eu só tinha um EP. A gente não tinha colocado essas metas e quando aconteceu foi uma confirmação muito forte da qualidade do nosso trabalho, pois não foi intencional e significou muito”, conta.

Tentando encontrar palavras para explicar o que sentiu ao ver o álbum como um dos mais vendidos do iTunes Brasil, ela não esconde a surpresa dessa conquista. “Eu fiquei pensando: ‘O que tá rolando? A galera tá comprando’”, comemora. 

 

 

O pronome é 'ELA'

 

Para Urias, as pessoas 'escolhem errar' o pronome de transgêneros. 

Para Urias, as pessoas 'escolhem errar' o pronome de transgêneros.  Foto: João Arraes

 

Com a participação de Linn da Quebrada no Big Brother Brasil 22 vimos a discussão do pronome ganhar destaque. Dentro do reality, alguns participantes trocaram “ela” por “ele” ao falar com Lina, mesmo a ex-sister tendo a palavra “ELA” tatuada na testa.

Para Urias, que também é uma mulher trans, “as pessoas escolhem errar” pronome. “É simplesmente uma escolha porque tem um cara lá dentro que todo mundo chama ele de Scooby, mas o nome dele não é esse. E ninguém errou o nome dele, entendeu?”, diz, dando exemplo do surfista que na verdade se chama Pedro Henrique Mota Vianna.

“Quando ela [Lina] fala que quer ser chamada de ‘ela’, os signos e símbolos estão ali. O jeito que ela se trata, gesticula, tá na testa, nos seios… Então as pessoas escolhem chamar pelo pronome errado pra poder tirar esse poder que a gente tem. As pessoas se sentem ameaçadas com esse tipo de liberdade”, fala.

Urias entende que as pessoas cis não precisaram descobrir e lutar por quem são iguais a elas, que lutam diariamente pela liberdade e respeito. “A gente já tá tão calejada de ter que lutar por quem somos, que as pessoas acham que somos fortes. 

 

 

Novos projetos

Além de shows e turnês, Urias promete lançar novos clipes e músicas ainda em 2022. "A gente tá sempre escrevendo e vivendo. Eu tô vivendo coisas e conhecendo pessoas que está sendo completamente diferente, coisas que eu nunca imaginei viver", diz.

A cantora mineira ainda conta que pretende fazer coisas para fora do País e que ainda tem muita coisa para falar em suas músicas: "Vai ser babado! Esse ano ainda vai acontecer muita coisa".

 

  

‘Fúria tour’

A turnê do álbum Fúria já começou. Três shows já foram realizados em São Paulo e um foi feito no Rio de Janeiro, no Presença Festival.

No próximo dia 14 de maio, Urias sobe ao palco do Festival Nômade, em São Paulo, e promete agitar a capital paulista mais uma vez com grandes grandes sucessos e o álbum novo para sua apresentação.

“Muito feliz de tocar nesse festival incrível ao lado de artistas maravilhosos. Mais feliz ainda por levar a Fúria Tour para as pessoas que me acompanham ou ainda não conhecem o meu trabalho e cantar todas as músicas para o público. Estou ansiosa e preparando um show incrível”, diz.