Colin Firth afirma que não voltará a trabalhar com Woody Allen

Redação - O Estado de S.Paulo

Acusações de abuso sexual contra diretor voltaram a aparecer, e ator britânico decidiu se posicionar

O ator Colin Firth.

O ator Colin Firth. Foto: Lucas Jackson/Reuters

As acusações de abuso sexual contra Woody Allen voltaram à tona nesta semana após sua filha Dylan Farrow reafirmar que foi abusada sexualmente pelo pai adotivo. Desta vez, um ator decidiu se posicionar: Colin Firth, que viveu rei George VI em O Discurso do Rei (2011) e Mark Darcy em O Diário de Bridget Jones. “Não trabalharei com ele novamente”, afirmou o ator inglês.

O anúncio foi feito no mesmo dia em que Dylan deu a primeira entrevista em formato de vídeo sobre o assunto, que voltou a ser negado por Allen. Firth foi questionado pelo jornal The Guardian e se posicionou contra Allen. Eles trabalharam juntos no filme Magia ao Luar, lançado em 2014.

Outra pessoa que se pronunciou foi Ronan Farrow, também filho de Allen e da ex-atriz Mia Farrow. Ainda em 2016 o advogado e jornalista publicou um texto na revista Hollywood Reporter. Ele questionou o silêncio em torno das acusações contra Allen.