Cinco suplementos alimentares da boa forma

Ana Paula Buchalla - O Estado de S.Paulo

Os eleitos de nutricionistas e endocrinologistas para quem quer uma forcinha extra na dura tarefa de manter a silhueta em dia

Vale lembrar que, no campo das dietas, milagres não existem

Vale lembrar que, no campo das dietas, milagres não existem Foto: Colin Dunn/Creative Commons

Manter o peso é um dos fatores que mais somam anos na vida de uma pessoa. Há muitas novidades no universo dos suplementos para emagrecer – a grande maioria deles é usada por quem pratica exercícios físicos, como whey protein e CLA, entre outros. Se este não é o seu caso, e você não é exatamente um frequentador assíduo de academias, há suplementos que, aliados a uma dieta saudável, prometem dar uma forcinha na árdua luta de manter a forma. Mas, antes de mais nada, vale lembrar que, no campo das dietas, milagres não existem. A melhor fórmula para permanecer saudável e esbelto ainda é comer pouco e bem. Abaixo, os cinco suplementos alimentares mais indicados por endocrinologistas e nutricionistas com esse objetivo:

Chá verde

Proveniente da planta Camellia sinensis, é considerado um alimento estimulante e termogênico (aumenta a temperatura corporal) devido à presença de cafeína. Ele ajuda na queima de gordura e acelera o metabolismo. “O chá também tem altas concentrações de catequinas, um excelente antioxidante da família dos polifenóis”, diz a endocrinologista Maria Fernanda Barca, especialista pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. “Ele também auxilia na prevenção de doenças crônicas como câncer, diabetes e distúrbios cardiovasculares”, explica.

Para quem pratica atividade física, o chá melhora o condicionamento e retarda a fadiga muscular. “Seu consumo aliado à prática de exercício físico auxilia na redução de triglicerídeos, no ganho de força muscular, de massa magra e na perda de massa gorda”, explica a nutricionista Roberta Thawana, de São Paulo. O consumo ideal de chá verde para garantir os benefícios das catequinas é de quatro a cinco xícaras ao dia. A melhor forma de preparar o seu chá é deixando as folhas sob infusão, com o fogo desligado, por no máximo 5 minutos para a melhor extração dos compostos bioativos. Depois de pronto, ele pode ser consumido em até 24 horas e não deve ser reaquecido.

Cromo

É um mineral essencial, ou seja, não é produzido pelo organismo. Deve, portanto, ser obtido através da alimentação. O cromo tem um papel fundamental na metabolização dos carboidratos e das gorduras e age diretamente na regulação dos níveis de glicose. É importante na manutenção da glicemia e normaliza as taxas da insulina no sangue. Sua deficiência está associada ao aumento do colesterol, diminuição do HDL, hipertensão arterial e obesidade.

“O picolinato de cromo, uma das formas mais bem absorvidas do mineral, ameniza a fome e ajuda a reduzir a compulsão, especialmente por carboidratos”, ensina a nutricionista Roberta. Alimentos fontes de cromo são: cogumelos, ameixa, nozes, brócolis, maçã com casca, levedo de cerveja e vinho. Como em tudo na vida, em excesso o cromo faz mal: pode causar dores de cabeça, vômitos, diarreia, e em casos mais graves, danos renais e hepáticos.

Probióticos

Os probióticos são bactérias benéficas que melhoram a saúde do intestino facilitando a digestão e absorção dos nutrientes. O seu consumo regular, além de contribuir para o bom funcionamento intestinal, fortalece o sistema imune, protegendo-o de várias doenças. As pesquisas agora se voltam para formas de manipulá-los para que eles trabalhem ainda mais a nosso favor.

Alguns estudos mostraram que certas bactérias podem levar à perda de peso e de gordura, à diminuição de fatores de inflamação que favorecem a obesidade e ao aumento de hormônios que controlam a fome. “Vale ressaltar que essas bactérias consideradas do bem irão beneficiar mais aqueles que mantêm uma alimentação saudável e equilibrada, com baixo consumo de gorduras e boa ingestão de fibras”, diz a endocrinologista Maria Fernanda Barca. “Cada vez mais o equilíbrio bacteriano é considerado fundamental para o controle do peso”, ressalta a nutricionista Francesca Holanda, da clínica Alessandra Haddad, de São Paulo.

Quitosana

A quitosana é uma fibra natural extraída da membrana que reveste o corpo de frutos do mar, como lagostas, camarões, siris e caranguejos. Seu papel é ajudar a regular a função intestinal. Essa fibra forma um gel no estômago que absorve boa parte da gordura dos alimentos e impede que ela seja absorvida no intestino. Ela também está relacionada à maior saciedade e a níveis mais baixos de colesterol ruim. A quitosana é comercializada em cápsulas, tabletes ou sachês.

“Ainda não existem estudos comprovando sua eficácia na perda de peso”, alerta Maria Fernanda. “É importante ressaltar que cada organismo tem suas particularidades e suas carências nutricionais, e a suplementação nutricional deve respeitar essa individualidade”, diz Francesca Holanda. E, não custa repetir, em se tratando de dietas, milagres não existem.

Cafeína

A cafeína está presente em maior quantidade no café, mas também é encontrada no chá mate, chá verde, guaraná, chocolate e em alguns refrigerantes. Por suas propriedades estimulantes, ela acelera o metabolismo. “Isso não garante o emagrecimento, mas pode promover mais energia para a prática de atividade física, fazendo o organismo queimar mais calorias”, explica a endocrinologista Maria Fernanda Barca.

Mas cuidado com os excessos: o café deve ser consumido com moderação por pessoas com problemas estomacais, cardíacos ou de pressão, e também por quem tem dificuldades para dormir. “Mais de cinco xícaras de café por dia podem causar ansiedade, insônia, irritabilidade e indisposição gástrica”, alerta a nutricionista Roberta Thawana.